Arquivo da categoria: Política

Falar O QUE fazer é fácil, difícil é dizer COMO fazer, não é Bohn Gass?

Existe um rapaz por aí chamado Elvino Bohn Gass que gosta de gravar vídeos de caráter de esquerda. Não que gravar vídeos de esquerda seja algo reprovável em si (se gravá-los deixa-o feliz, que os grave então), mas gravar vídeos com um raciocínio muito falho é um problema sério, e falha de raciocínio é o que não falta em sua “videografia”. O vídeo abaixo contra a redução de maioridade penal é um bom exemplo de falha argumentativa e é a obra de Bohn Gass que o conferiu seus cinco minutinhos de fama no Facebook em 2015, portanto perfeito para ser destrinchado aqui. Assistam, depois comento: Continuar lendo Falar O QUE fazer é fácil, difícil é dizer COMO fazer, não é Bohn Gass?

Anúncios

Uma fábula: o homem e o cavalo

Uma fábula: o homem e o cavalo

Um homem tinha um cavalo para levá-lo a todos os lugares. Um dia, ele encheu as costas do cavalo com 30 sacos grandes e pesados de café e o fez andar por quase um dia inteiro até onde ele pudesse vender a mercadoria. Quando estava quase terminando a jornada, o cavalo se deu conta que não precisava fazer isso, derrubou tudo de cima dele, o homem inclusive, e disse: “abaixo a cultura de escravizar cavalos!” Então, ele começou a enviar cartas para seus amigos cavalos, dizendo a eles que todos deveriam ser contra a cultura de escravizar cavalos, e que cada cavalo que recebesse a carta deveria reenviá-la para outros 2 cavalos que não a tivessem recebido. Um belo dia, todos os cavalos do mundo já tinham recebido sua carta, e nenhum cavalo jamais foi escravizado por outro homem novamente. FIM.

Deixemos de ser estúpidos: aumentar penas não resolve o problema da violência!

Abaixo um par de textos escritos pelo doutor em direito penal Luiz Flávio Gomes para a coluna Última Instância do portal UOL. Neles, Gomes defende a tese de que maiores penas não diminuem a criminalidade. Continuar lendo Deixemos de ser estúpidos: aumentar penas não resolve o problema da violência!

Escola “sem” partido

Caros leitores, eu estou vivo!

Um pouco mais de três meses de sumiço é reflexo de todas as minhas atividades em curso, que me forçaram a estourar a jornada comum de trabalho. Mas vou aproveitar o descanso de fim de ano e minhas férias como professor em janeiro para atualizar aqui um pouco.

E nada melhor do que registrar meus comentários sobre um recente surto da direita brasileira, a chamada escola “sem” partido. Continuar lendo Escola “sem” partido