Arquivo da categoria: Pedagogia

O rap do peixinho doido

Aiai… tem certas coisas por aí que desafiam nossa paciência e nossa persistência: como pode um mero vídeo no Youtube conter tantos erros sucessivos e como posso esclarecê-los um a um? É frustrante… O vídeo ao qual me refiro é este que se segue, assistam:

Pelos deuses!

O vídeo já começa mal: atribuindo a Einstein a velha e batida fábula de autoajuda do peixinho julgado como estúpido porque tentaram, sem sucesso, lhe ensinar a subir em árvore. Einstein nunca disse isso!! Se quem fez esse texto repleto de rimas, pronunciado como um rap pelo advogado das causas sublimes e celestiais, fosse mesmo um entusiasta da educação, já teria aprendido a checar a veracidade das citações antes de fazê-las. Aliás, nota-se que o vídeo não precisou nem de 2 segundos para mostrar a que veio: desinformar.

Continuar lendo O rap do peixinho doido

Anúncios

Vamos à escola para nos divertir ou para estudar?

Uma aula super-divertida! Ebaa!!!

Em que fossa a pedagogia moderna resolveu se enfiar, hein?

Tyler DeWitt, um jovem e novato professor de biologia cheio de energia, descobriu que suas aulas não estavam ajudando os alunos em nada. Então, para os alunos ficarem felizes, ele “desenvolveu um método” super-criativo de “lecionar”: contar historinhas. Vejam ele performando um pequeno exemplo de sua aula super divertida e fazendo uma defesa dessa abordagem em uma palestra do TED, a maior plataforma mundial de viralização de ideias de jerico que esse mundo já viu.

Continuar lendo Vamos à escola para nos divertir ou para estudar?

Escola “sem” partido

Caros leitores, eu estou vivo!

Um pouco mais de três meses de sumiço é reflexo de todas as minhas atividades em curso, que me forçaram a estourar a jornada comum de trabalho. Mas vou aproveitar o descanso de fim de ano e minhas férias como professor em janeiro para atualizar aqui um pouco.

E nada melhor do que registrar meus comentários sobre um recente surto da direita brasileira, a chamada escola “sem” partido. Continuar lendo Escola “sem” partido