Blasfêmia!

Muitos cristãos mundo a fora reclamam que ateus blasfemam contra sua crença. Alguns fazem essa “acusação” tendo como base imagens e frases ofensivos feitos por ateus de internet, enquanto que alguns chegam ao extremo de dizer que a própria não crença na existência do Todo-Poderoso já é, em si, uma blasfêmia.

Continuar lendo Blasfêmia!

Medo do Conhecimento – Parte 1: Introdução ao Relativismo Pós-Moderno

Fala galerinha do mal!

Este texto abre uma série sobre relativismo e construtivismo pós-modernos, um tema muito importante dentro da Filosofia do Conhecimento e da Ciência.

Ver também: [Parte 1b] [Parte 2] Continuar lendo Medo do Conhecimento – Parte 1: Introdução ao Relativismo Pós-Moderno

Lutero, o esquerdopata

A última moda entre os conservadores de galinheiro, apelidados de reacionários ou de neo-cons, é assumir uma postura simultaneamente conservadora e religiosa do ponto de vista sócio-cultural e libertária do ponto de vista econômico.

Continuar lendo Lutero, o esquerdopata

118 milhões?!?!

É com muito pesar que tenho visto a revolta de muitas pessoas por aí a respeito dos gastos públicos com a visita do Papa Francisco ao Brasil durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ). Sob o argumento de que o estado brasileiro é laico, condenam veementemente via redes sociais os quase 120 milhões a serem gastos durante sua visita.

Mas sejamos justos, qual o grande absurdo nessa história?  Continuar lendo 118 milhões?!?!

Entendendo a falácia da falta de engenheiros no mercado

Autor: Luciano Netto de Lima
Publicado Originalmente em: Entendendo a falácia da falta de engenheiros no mercado (Blog ExastasMentes) em 04/JUL/13.

O mercado aquecido sente falta de profissionais

As principais revistas e jornais vem anunciando incessantemente a falta de engenheiros no Brasil. Porém, para os engenheiros, desde os recém-formados aos que tem 25 anos de experiência, é um consenso que esta informação não confere no cenário nacional. Diante desta situação fica a dúvida: Que escassez é essa?

Continuar lendo Entendendo a falácia da falta de engenheiros no mercado