Explicando a Ressurreição sem Recorrer a Milagres – Parte 3: A Tumba Provisória

===============================================================
Título Original: Explaining the Resurrection without Recourse to Miracle
Autor: Dr. Robert M. Price
Publicado Originalmente em: The End of Christinaity,
editado por John W. Loftus, Prometheus Books, EUA, 2011, Capítulo 9
Tradução: Marco Aurélio Suriani
===============================================================

SEM ENDEREÇO PARA REDIRECIONAMENTO

Ao ler o relato de Páscoa em João 20:11-15, eu não preciso impor algum tipo de ódio de Jesus ao ceticismo para que ele pudesse “escapar” das implicações do texto. Não, eu me vejo lendo o texto com reverência, valorizando sua atmosfera sobrenaturalmente refrescante nessa história maravilhosa e, de repente, sou surpreendido com Maria Madalena não encontrando ninguém no túmulo: Ó Deus! Haverá um fim para os horrores desse fim de semana? E agora? Ela pergunta a um homem que estava por perto, aparentemente o zelador do mausoléu, se ele já transferiu o cadáver para outro lugar. Ela não faz ideia do que pode ter acontecido com ele. É bastante óbvio. Como também nos foi dito em 19:41-42, “E havia um horto naquele lugar onde fora crucificado, e no horto um sepulcro novo, em que ainda ninguém havia sido posto. Ali, pois (por causa da preparação dos judeus, e por estar perto aquele sepulcro), puseram a Jesus.” Os restos de Jesus foram depositados nessa tumba próxima apenas como uma medida de emergência porque havia pouco tempo. Não era para ele para ficar lá. [26]

Maria está preocupada apenas com a possibilidade de não ser capaz de descobrir o lugar de descanso final. Isso não é apenas uma especulação estranha feita por racionalistas. Esse é o cenário traçado pelo próprio Evangelho. E embora o evangelista (obviamente) passe a fornecer uma explicação alternativa, a da fé na ressurreição de Jesus, o próprio texto já forneceu uma explicação puramente natural para um túmulo vazio, bem como a implicação de que os cristãos podem não ter sido informados (ou jamais ter sido informados) do local final de descanso de Jesus. [27] O próprio João nos diz que à primeira vista, a explicação era uma simples realocação de um cadáver escondido lá às pressas por algum momento.

Talvez seja isso que aconteceu. Bingo: Jesus é enterrado, o túmulo vazio é descoberto, e é muito tarde para descobrir para onde o corpo foi levado, talvez porque os discípulos não sabiam do papel de José de Arimateia e de Nicodemos. Talvez o guardião interrogado por Maria fosse o substituto do homem que havia aprovado a retirada do corpo no turno anterior, e ele simplesmente não sabia o que dizer a ela. (“Não, minha senhora, eu não sei quem ele é; desculpe”) Não há nenhuma perplexidade aqui que nos faria preferir milagres sobrenaturais como a melhor explicação, não é?

Se não fôssemos tão familiarizados com o texto, nos pareceria bastante ridículo pensar que se deve fazer a inferência de que se o túmulo estava vazio então Jesus deve ter ressuscitado dos mortos, tão absurda quanto a cena de “A Vida de Brian” de Monty Python em que os seguidores de Brian momentaneamente perdem ele de vista no meio de uma multidão e já saltam para a conclusão, “Ele foi levado para cima!” “Não, lá está ele!” [28] Mas os discípulos afirmaram ter visto ele! Bem, também há explicações prontas para isso…

Continua…

Notas e Referências:

26. Veja Richard Carrier, “The Burial of Jesus in Light of Jewish Law,” Price and Lowder, The Empty Tomb, 369–92.

27. Similarmente, o atestado de Mateus ao relato difundido de que o corpo foi roubado é evidência de que ele foi: veja Carrier, “Plausibility of Theft,” em Price and Lowder, “The Empty Tomb,” 355–57.

28. Graham Chapman, John Cleese, Terry Gilliam, Eric Idle, Terry Jones, e Michael Palin, Monty Python’s The Life of Brian (of Nazareth) (New York: Ace, 1979), 99.

Anúncios

Quer fazer um comentário?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s