O que Não é um argumento? – Parte 2: Justificativas, causas e explicações

Nos posts anteriores eu apresentei os argumentos e expliquei que eles são compostos de duas partes: a parte formal, ou lógica, que dá validade ao argumento e a parte informal, que dá solidez a ele. Para contextualizar o leitor, repito o que já disse antes: que o argumento tem o propósito de sustentar uma conclusão através de uma premissa ou um conjunto de premissas. É importante que se diga isso, pois uma construção organizada formalmente como um argumento válido e sólido pode não ser um argumento. Vamos ver um exemplo:

O filho do Pedro está no hospital, por isso ele se ausentou do serviço nos últimos dias.

Isto é um argumento ou não é? Acertou quem disse que depende do contexto. Vejam bem, essa frase está construida mais ou menos na forma “A logo B”, então podemos afirmar que a “conclusão” à qual se deseja chegar só pode ser B, ou seja, que Pedro se ausentou do serviço dos últimos dias. Então, se A – o fato de seu filho estar no hospital – tiver sido apresentado para provar que essa conclusão, então trata-se de um argumento sim. Vejam um possível contexto:

João: O Pedro é um funcionário exemplar, nunca falta ao serviço. Cheguei de viagem ontem a noite e estranhei muito quando ouvi dizer agora há pouco que ele não aparece há alguns dias. Eu não acredito que isso seja verdade.
Tereza: O filho do Pedro está no hospital, por isso ele se ausentou do serviço nos últimos dias.

Essa conversa pode ter ficado um pouco irreal, mas serve bem aos propósitos desse post. Entendam o que aconteceu: João não sabia se Pedro tinha faltado no serviço mesmo e precisava de ser convencido disso. O que Tereza fez foi demonstrar que isso realmente ocorreu apresentando a razão do acontecimento. Seu argumento foi:

P1: O filho do Pedro esteve no hospital nos últimos dias.
P2: Pedro precisou acompanhar o filho no hospital ou ficou sem cabeça para trabalhar. (premissa implícita)
C: Pedro não pôde trabalhar nos últimos dias.

Mas suponhamos um contexto que não visa demonstrar B porque B é algo já sabido e cuja veracidade seja trivial ou mesmo consensual. Entretanto, mesmo assim os motivos que levaram ao acontecimento de B são desconhecidos e A precisa ser apresentado para sanar esse problema. Vejam este novo contexto:

João: O Pedro tem feito muita falta aqui na firma e eu até agora não sei porque ele sumiu!
Tereza: O filho do Pedro está no hospital, por isso ele se ausentou do serviço nos últimos dias.

Notem que existe uma diferença sutil entre os dois casos. Agora, João sabe que Pedro se ausentou nos últimos dias, só não sabe porque. Ele demandou uma causa, uma justificativa ou uma explicação para algo que ele sabia que acontecera. Apesar da resposta de Tereza ter sido estruturada como um argumento, não se tratava de um, pois argumentos visam dar veracidade a alguma conclusão e não justificar um fato verdadeiro.

Vejam este outro exemplo que compara dois raciocínios semelhantes:

  1. O Brasil investe pouco e muito mal em esportes e dá pouco suporte a nossos atletas. Como consequência, mais uma vez nosso país terá um desempenho fraco nos Jogos Olímpicos.
  2. O Brasil investe pouco e muito mal em esportes e dá pouco suporte a nossos atletas. Como consequência, mais uma vez nosso país teve um desempenho fraco nos Jogos Olímpicos.

No primeiro caso, quem quer que tenha feito a declaração, a fez antes dos jogos e tentava convencer o leitor de que a delegação brasileira não traria muitas medalhas para nosso país, como tem acontecido nas últimas edições. Trata-se, então, de um claro argumento.

Já no segundo caso, o autor fazia sua declaração após os jogos e contava com o fato que seus leitores sabiam que nossa delegação continuou tendo poucos resultados e tentou mostrar o porquê disto ter acontecido. Como sua conclusão já era algo previamente estabelecido, então ele não tentou convencer ninguém, logo não houve um argumento.

Compreenderam a diferença? Para quem ainda tem dúvidas sugiro o artigo “Argument” do site IEP. Para quem deseja se aprofundar, sugiro o artigo “Theories of Explanation”, que eventualmente será trazido para este blog.

Referências e Leituras Recomendadas:

Anúncios

Quer fazer um comentário?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s