Pikachu

Luciano Ayan: uma breve biografia – de troll no orkut a “líder” conservador fake

If you feel rage
To strike me with revenge
I’ll be standing right here
Waiting without fear
For you

[Atualizado em 13/08/2016]

Neste post vou fazer uma breve biografia do “líder” conservador revolucionário auto-intitulado Luciano ‘Ayan’ Hanrique. Seus dados biográficos contados por ele mesmo podem ser encontrados em doses homeopáticas nas internets a fora e o post Luciano Ayan: Idiota Savant, Analfabeto Funcional e Cristão Enrustido que foi ao ar no domingo mostra algumas das mais interessantes, como seu passado abusivo de psicotrópicos, sua família desestruturada e sua época ateu-comunista. Quem ler o post O grande pseudocético e pseudocientista Luciano também poderá descobrir como ele assume ser um boçal que cai que em qualquer propaganda e que por isso precisa catalogá-las para poder evitá-las. Mas estes detalhes são contados por ele mesmo e por isso não têm muita graça. Bons mesmo são os detalhes que ele não conta. Esses sim são legais e é por isso que trago aqui a vocês! E para quem não leu o artigo Bypass Político para pregações apologistas, leia agora. Alguns trechos aqui só fazem sentido para quem o leu.

Observação: Salvei quatro páginas da internet para me certificar de que não serão alteradas: WikiUploads.

Capítulo 1 – O forista troll begins

Que o infeliz frequentava comunidades de orkut (usando inclusive o perfil atual dele no orkut) desde meados de 2004, quase todo mundo sabe. Mas o que ele fazia nestas comunidades, pouquíssimos sabem. Os que tiveram o desprazer de topar com ele naquelas épocas hoje sabiamente o ignoram, o que acaba sendo lucrativo para o Luciano também pois ajuda a enterrar seu passado longe de sua atual seita de seguidores anencéfalos que nunca questionam quem está escrevendo coisas agradáveis aos seus olhos.

Vamos fazer uma viagem pelo Orkut? Possuir login da rede social (e estar logado) ajuda bastante, pois visitar as páginas sem estar logado é possível, mas os comentários ficam anônimos e isso dificulta o entendimento.

Fiquei emocionado quando descobri estes tempos para trás que o início dele no orkut foi bem parecido com o meu. Uma de suas primeiras atitudes foi criar a comunidade • Ciência sem fanatismo. Hoje, a comunidade não está mais no nome dele, mas no de um de seus (incontáveis) fakes. Mas se alguém duvida é só visitar o índice (cópia certificada) da comunidade e ver quem escreveu os 30 primeiros tópicos. Vocês verão como a proposta dele era similar à WatchGOD, a diferença é que ele se dedicava à STR naquela época.

Não estou comparando meu trabalho organizado que fazia (e continuo fazendo) na WatchGOD com o dele. Meu estilo é tão bom que ele até copiou em suas últimas respostas a mim. O trabalho dele era desorganizado. Suas práticas se dividiam em dois tipos: na primeira, ele colocava um texto sobre darwinismo ou neurociência ou áreas afins e agia como se fossem completos absurdos oriundos da irracionalidade humana se materializando através das mentes ds ateus céticos que não eram céticos coisa nenhuma pois acreditavam em darwinismo mas não em Deus; ou senão textos que “refutavam” tais princípios científicos. Engraçado que hoje ele é supostamente um ateu que usa o darwinismo para se justificar. Vejam, por exemplo, este tópico em que ele alega que o Design Inteligente em detrimento das Teorias de Darwin e do Criacionismo, simutaneamente.

Tópico: design inteligente não é criacionismo de mar/2005 em Ciência sem Fanatismo (certificado). Abaixo, um print e trechos mais importantes:

A descoberta de algo nem sempre derruba teorias, nem confere honrarias a alguém. O Big Bang (massa, energia, tempo e espaço têm começo – implicações teológicas) ficou no ostracismo por mais de 30 anos [Stephen Hawking]. Darwin resiste ao teste porque a Nomenklatura científica se recusa considerar teorias rivais. […] A mudança paradigmática ocorrerá quando a comunidade científica se convencer que as evidências fatais contra Darwin não podem mais ser tapadas com uma peneira epistemológica furada. […] Como programa de pesquisa científica, parece que a teoria darwinista falhou.

Superinteressante, não? Era tanta baboseira que hoje nem ele acredita nisso. Aliás, hoje ele prega que acredita justamente no contrário. O outro tipo de atitude comum naqueles inícios de 2005 eram meramente ataques pessoais desvairados a qualquer ateu, cético, cientista que acredita em Big Bang e Evolução sem DI, membro da STR, pessoas que parecem ser da STR, pessoas que posuem alguma coisa que faça lembrar a STR, pessoas cujas iniciais fossem STR… enfim, ele era um cristão fanático que não aceitava a ciência e dava birra contra todos que não a usassem para produzir material que fosse do seu agrado e que corroborasse sua cosmovisão. Sim, meus amigos. Ele era um pirralho, um pentelho.

Tópico: a estrutura do pseudo-ceticismo de março/2005 em Ciência sem Fanatismo. Meramente Luciano implicando com alguns membros da STR. Vejam estre trecho aqui:

Vejam, ele reclama quando alguma pessoa defende a democracia sem usar argumentos científicos mas reclama também da postura cientificista da STR em outros tópicos. Ou seja, ele induz seus adversários ao cientificismo e depois reclama que eles são cientificistas. Desde aquela época, um manipulador de debates (aqui, ele ainda beira o amadorismo). Isso sem contar que alegava que Randi era uma fraude e um pseudocético só para irritar os outros. Não há dúvidas de que ele sempre foi um pentelho assim como hoje. A diferença é que agora ele se “profissionalizou” e consegue ser mais enfático em menos palavras.

Mas porque ele já chamava atenção desde aquela época? Um pentelho normalmente seria apenas ignorado, mas ele era até famoso! Vamos perguntar isso para o pessoal que tratava com ele na época… com a palavra, Cornélio Procópio (que não é o Aurélio), complementado por Marco Abramo.

Tópico: Eu tenho pena do Luciano de abri/2005 em † LUCIANO, REST IN PEACE †. Dois printscreens para vocês lerem:


Esse comentário do Abramo ficou realmente engraçado! De todo caso, mostram como a impressão que deixa é sempre a mesma: a de um zé mané. (Ele nega e diz que estão todos nervosos com ele!!!) Outros dois grandes amigos de peito do Luciano naquela época também deixaram Testimonials valiosíssimos para a posteridade. Sinto-me como um verdadeiro historiador trazendo tais relatos para vocês.

Tópico: o que é um cético e venha aprender astrologia de jan/2005 em STR Sociedade da Terra Redonda. Alguns prints para vocês se divertirem:

Só complemetando o que o Rodrigo disse alí em cima sobre fakes, apresento um outro tópico em que ele pega um fake para babar ovo de si mesmo. O mais engraçado é que o fake elogia algo completamente nonsense… não dá nem pra entender o que o Luciano estava dizendo.

Tópico: a desinformação dos membros da str de jan/2005 em Ciência sem Fanatismo. Só este print basta para verem o nível da palhaçada.

Para a baixaria ficar completa, ele alegava que era um médico que morava na Alemanha. Sim, eu sei que é de cair o cu da bunda, mas é verdade. Apesar da atual biografia contada por ele mesmo o apontar como administrador, ele dizia há sete anos atrás que era médico. O fato dessa história contada por ele parecer absurda quando vista à luz do que sabemos sobre ele hoje não é indício de que pelo menos naquela época ela era bem aceita. Eu não encontrei um post onde ele afirma isso tudo, mas encontrei várias pessoas fazendo referências a isso. Vejam duas pessoas que disseram que ele alegava ser médico e notem como nenhuma delas foi acusada de mentirosa por Luciano Ayan, mesmo ele tendo participado da discussão.

Tópico: Luciano: uma farsa completa de abril/2005 em † LUCIANO, REST IN PEACE †. Leiam os três prints para entenderem (o segundo está certificado).

Aliás, no tópico “o que é um cético e venha aprender astrologia” ali em cima, o forista Fabio já tinha feito referência ao fato do Luciano alegar ser médico. Relatos de pessoas provando que o Luciano alegava isso é o que não faltam.

Resumo da ópera: em 2005 o infeliz apresentava as seguintes características:

  1. Frequência de postagens extremamente alta – vejam como exisem uns 50 tópicos em sua comuninade Ciência sem Fanatismo nos seus primeiros 6 meses, isso sem contar com sua presença constante em comunidades de esoterismo e da STR, por exemplo.
  2. Selecionava a dedo trechos das postagens dos outros e as respondia de maneira individual, o que facilitava a distorção: ele não precisava considerar o raciocínio como um todo e ainda por cima podia ignorar trechos inconvenientes com mais sutileza.
  3. Tinha um exército de fakes para elogiar a si mesmo. Incrível como desde 2005 já era óbvio que ele agia assim. O tempo passa e certas coisas não mudam. Outros fakes serviam para que ele continuasse participando (trollando) comunidades como a STR e a Céticos SA. Não mudou absolutamente nada neste aspecto nos últimos sete anos.
  4. Era cristão e esotérico, e alegava participar de sociedades secretas (rosacruz, alquimistas, maçonaria). Detestava James Randi porque ele fazia com os esotéricos exatamente o mesmo que ele pensa fazer com os ateus hoje. O chamava de pseudocético que é exatamente como ele age na suposta investigação que empreende contra ateus.
  5. Dizia que um cético e um cientista de verdade não poderia jamais aceitar o big bang, a evolução natural das espécies, a neurologia etc (mais para a frente, os memes vão entrar nesta lista e a astrologia vai sair da lista das atividades dos céticos e entrar na dos não céticos)
  6. Dizia que era médico, mas só consiguia soltar clichês e jargões técnicos que qualquer colegial consegue absorver com um mês de leituras na internet. Todo mundo notava que não era verdade e hoje em dia ele em cita isso mais. No tópico a cima, em momento algum ele negou que tenha dito que era médico… pelo contrário, se defendeu das acusações de que estava mentindo.
  7. Dizia que morava a Alemanha, mas não conseguia sequer escrever o nome da cidade corretamente. E ainda inventava desculpas esfarrapadas para encobrir o óbvio ululante… se fosse verdade sua história de erro de digitação, ele simplesmente diria “opa, foi mal, agora que percebi que venho digitando o nome incorretamente nos últimos tempos, mas agora não erro mais” mas ao invés disso ele preferiu partir para desculpas esfarrapadas, sintoma clássico de quem está mentindo. E sim, esse é um raciocínio perfeitamente válido.
  8. Moderava sistematicamente seus próprios debates a fim de beneficiar a si mesmo. Apagava comentários alheios e próprios a bel prazer e montava um debate fictício e armado para parecer que ele é quem estava se dando bem. Printar tudo que ele diz é um hábito que quem discute com ele já deveria cultivar desde a sete anos atrás.
  9. Ele alegava ser ariano e ter um pênis grande. Ele dizia que era rico. Ele dizia que pegava muitas mulheres. Ele dizia, dizia, dizia, dizia… mas ninguém nunca viu nada do que ele dizia (e continua dizendo). Aliás, Luciano, você ainda é ariano?
  10. Recorria ao uso de textos escritos com bastante convicção quando faltavam agumentos. Na época ele não era muito bom nisso ainda, ele ficava meio que na vontade. Alguns anos depois ele batizaria seu estilo como “high-profile” que quer dizer literalmente “ser ríspido e falar com absoluta convicção não convence os interlocutores, mas eu acho legal ser assim e impressiona as mentes mais desprivilegiadas”.

Capítulo 2 – O forista troll das trevas

Alguns anos depois, já pelos arredores de 2008, Luciano estava um pouco mais maduro (não de maturidade emocional, mas no sentido de ter suas habilidades malignas mais desenvolvidas) e já estava num estado um pouco mais parecido com o que vemos hoje. Neste intervalo, Richard Dawkins lançara seu famoso “Deus, um Delírio” e o alvo predileto dele deixara de ser a STR e passara a ser comunidades como a Céticos SA. Suas principais rusgas na época incluiam ateus “ilustres” de hoje tais como Eli Vieira (o presidente do Bule) e Daniel Sottomaior (o presidente da ATEA). Suas rusgas com o Guilherme Roesler também foram nessa mesma época. Bora continuar nossa viagem pelo orkut?

Vou começar dando uma geral em um tópico da Céticos SA onde discutem se ele deve ser expulso de lá ou não. O depoimento dos membros da comunidade serão um guia neste novo capítulo.

Tópico: Discutindo o Luciano. Expulsar ou não? de jun/2008 na Céticos SA. Uma série de prints para não deixar ninguém com dúvidas de como ele se comportava. Notem que ele foi defendido por algumas pessoas, nem tudo aqui foi escrito por inimigos dele. Ordem cronológica, existem posts omitidos entre cada imagem (quem quiser ler tudo visite o tópico).














Continua em dúvida? Veja que como só de ver a palavra Dawkins, ele já chega no tópico postando SEIS comentários seguidos logo na primeira página. Ele agia assim em vários tópicos naquela época, o que acabou justificando o tópico sobre sua expulsão. Sinceramente, quem gostaria de comentar num tópico tão poluído como este?

Tópico: Dawkins e os escravos da superstição de fev/2008 em Céticos SA. Logo na primeia página, seis posts dele. Depois, mais seis na segunda e mais seis na terceira!

Ele disse que não entrava em tópicos sobre biologia também, mas então o que ele estava fazendo em um sobre criacionismo? Qualquer pessoa sabe que um tópico desse descambará para a biologia em 5 segundos! Tudo bem que eu poderia trazer exemplos melhores, mas este é relevante porque ele defende periódicos criacionistas (ué, três anos antes ele não era contra o criacionismo, mas sim a favor do Design Inteligente? E hoje ele não é darwinista?) porque estes apresentam peer review. Graaande argumento, tem peer review, então é científico e confiável! E olha que hoje em dia ele não se importa mais com peer review. Aliás, ele não é contra nem a favor. A posição dele muda conforme a do adversário: o importante é ser do contra. Vejam que em dado momento ele diz que o criacionismo é espetacular! E que seu único problema é ser não-testável, o que é uma grande inverdade. As evidências em favor da evolução eliminam a possibilidade da criação do nada de espécies, tais como elas são hoje. Dizer que algo é intestável é recurso de quem defende algo indefensável. E ele ainda coloca como um ponto negativo por pura estratégia  de combate, para tentar desligar o senso crítico e deixar a mensagem dele passar sem ser filtrada. Ele sabe muito bem que o primeiro passo para alguém aceitar o criacionismo é aceitar que ele não pode ser testado.

Tópico: Periódico ”científico” sobre criacionismo de jan/2008 na Céticos SA. Ver no print a parte destacada em que ele diz que tudo que um artigo precisa para ser científico é ser peer reviewed.


Que ele agia como um troll, causando caos e discórdia em todos lugares por onde passava, isso já ficou bem claro. Sobre a questão do racismo, não é difícil ver pessoas daquela época que atestavam o uso dos termos “paraíba” e “crioulo” como ofensa. No fim das contas, vocês viram que ele foi expulso por ter perguntado a um negro, a quem ele chamou de crioulo, se ele tinha sumido porque foi parado pela polícia. Se os dois fossem amigos, tudo bem (não me meto nas intimidades que amigos se dão). Mas ele agiu assim com um desconhecido somente para provocá-lo. Se o relato for verdadeiro (eu não tenho dúvidas mas também não posso provar por motivos óbvios), então ele deveria ter sido preso. Mas conservadores sociopatas como ele não costumam se incomodar muito com esse tipo de trivialidade jurídica, então acaba ficando tudo bem. Aliás, tirando pedofilia, o que acontece no orkut, morre no orkut: a oportunidade perfeita para quem quer praticar crimes de injúria racial. E depois ainda têm a cara de pau de afirmar que a atitude de um homem é decorrência única de suas escolhas e decisões e negar que haja influência do meio (a mais estúpida das alegações conservadoras). Queria ver se certas pessoas teriam coragem de, na frente de um policial, chamar um negro de crioulo e perguntar se ele tinha sumido porque foi parado pela polícia. Mesmo que o negro não prestasse queixa, a polícia poderia prendê-lo por difamar a classe dos policiais. Em suma, seriam dois crimes. Mas conservadores só gostam da polícia quando ela bate em pobre e mata sem necessidade, então fazer o que…

Só mais dois tópicos para ilustrar a trollagem dele: Atos da Moderação da comunidade Genêsis (índice do blog na época), que foi para onde o troll migrou depois de ser expulso por suposto comentário racista. Ele foi suspenso duas vezes e levou várias pessoas junto. Estava lá só para provocar brigas e a prova são as suspensões. Jogar futebol sem levar suspensões de vez em quando é impossível, mas debater sem levar suspensões de vez em quando é o mínimo que se espera de pessoas normais. Ele também migrou para a Contradições do Ateísmo, onde sempre contou com a conivência eterna do Vinícius, que sempre joga duro com ateus mas sempre joga mole com cristãos: “ahhh o snowball falou muita besteira mesmo, foi ofensivo mesmo… nossa, eu não aprovo o que ele faz… mas os ateus que brigaram com ele já estão banidos hehehe” Lamentável.

Resumo da Ópera: em 2008 o infeliz apresentava as seguintes características:

  1. Frequência de postagens extremamente alta. Participava de vários tópicos por dia, em mais de uma comunidade e postava bastante em cada um deles.
  2. Selecionava a dedo trechos das postagens dos outros e as respondia de maneira individual a cada um deles, como sempre.
  3. Tinha um exército de fakes para trollar mais e para substituir a si mesmo quando expulso. Também usava eles para fazer provocações em perfis dos outros, clonar perfil da irmã do dono do Bule e agir como criança que provoca todo mundo ao seu redor, como se isso tornasse ele uma pessoa melhor ou ajudasse alguém a melhorar em alguma coisa. Provocar um desafeto é normal, mas se transformar numa máquina de provocações é sociopático.
  4. Ainda esotérico, mas já se declarava agnóstico de vez em quando. Mas todos sabiam que ele era cristão. Basta ver o comentário do Sodré (cristão convicto e defensor do Luciano Henrique) afirmando que expulsá-lo seria perseguição religiosa.
  5. Dizia que um cético e um cientista de verdade não poderia jamais aceitar o big bang, a evolução natural das espécies, a neurologia, em memes, em Richard Dawkins etc conforme o Fomon já tinha mostrado no post “O grande pseudocético e pseudocientista Luciano”(link no primeiro parágrafo)

  6. Dizia que era um empresário de sucesso. Hoje em dia, ele pertence à classe proletária mesmo e trabalha como gerente. Será que ele apostou na bolsa e perdeu tudo? Será que um sócio safado passou o detector de mentiras humano pra trás e deu um golpe? Será que seu excesso de virilidade o fez levar um golpe do baú que o forçou a vender sua empresa? Será que ele não era tão competente assim? Será que estava mentindo naquela época? Será que mente ainda hoje? O que fez com o curso de medicina?
  7. Moderava sistematicamente seus próprios debates a fim de beneficiar a si mesmo. Printar o que ele diz é o hábito dos sábios. (Aliás, sábio mesmo é aquele que finalmente percebe que o melhor é ignorá-lo)
  8. Recorria ao uso de textos escritos com bastante convicção quando faltavam agumentos. Na época ele já estava craque nisso, apesar de hoje ele dominar a arte com maestria inigualável (exceto pelo Snowball, que também é mestre). A convicção dele em afirmar as coisas sem prover um triz de argumento e ainda conseguir quem concorde com ele chega a impressionar. O JMK, por exemplo, tem como profissão cair na dele. Aplaude umas besteiras tão sem noção que eu fico até em dúvida se estou diante de algo real ou se estou diante de uma crise esquizofrênica cujo objetivo é criar a ilusão de que o Luciano é convincente para certas pessoas, o que por sua vez forja em minha mente consciente uma falsa necessidade de continuar respondendo ele. A estupidez do JMK é tão grande que me força a dilemas como este… Ele bem que podia ler o que escrevo, ao invés de comentar somente a seleção tosca que o Luciano faz dos meus textos.

Capítulo 3: Snowball surge

Agora já estamos em 2010 e a bola da vez é o Snowball (EIKE trocadilho horrível!!) Snowball claramente tinha o espírito “high-profile” do Ayan: rispidez para compensar falta de conteúdo e agressividade desnecessária e automática contra qualquer ateu que não falasse com ele pisando em ovos e de cabeça baixa. Prática essa que, conforme demonstrei, o Luciano levou alguns anos até que se masterizasse nela.

Os dois nutrem duas diferenças: uma são os objetivos. O Luciano sempre foi um cético que desafiou o ceticismo corrente, se proclamando como o verdadeiro cético. Ele era cético, mas os que duvidavam de atividades paranormais não. Ele era o cético, mas cientistas como Richard Dawkins com seus memes e genes egoístas não (me refiro ao RD cientista e não ao RD ateu, bem inferior ao primeiro). Ele é o cético, mas os que discordam do ponto de vista político dele não. Mesmo que a esquerda esteja 100% errada, isso não necessariamente implica que seus defensores faltam com ceticismo, ao contrário do que fica implícito em seus textos. É possível defender uma tese errada sendo cético ou uma tese correta mesmo não sendo cético. Eu posso defender que a Terra é redonda porque sonhei com isso ontem a noite, contudo, o fato de tal conclusão estar correta não me torna cético! Sinceramente, só idiota para se empolgar com a auto-proclamação de cético dele. Pura propaganda.

Não que o Snowball não agisse assim também, mas este não era o cerne de sua atuação nem de seus objetivos. Snowball possuia a clara e evidente linha de ser apologista no sentido mais extrito do termo. A sua influência quase papagaiante do WL Craig é prova disso. A outra diferença é que ele procurava manter um tom mais “sou cristão que não abaixa a cabeça” do que “o cético daqui so eu, sou eu, sou eu, sou eu, sou eeeeeeeeeu!!!!!1!!” do Luciano Henrique.

Vamos colocar os fatos de forma cronológica então. O Luciano assinava no orkut como Luciano Henrique. Em 11 de agosto de 2009, ele começa o blog Neo-ateísmo, Um Delírio, ainda sobre tal sobrenome. Em maio de 2010 ele abandona este e abre o blog Luciano Ayan, modificando seu sobrenome Henrique. Algum tempo depois, surge o Quebrando o Encanto do Neo-Ateísmo, sob o comando de Snowball. Sua data de início eu não sei, pois o blog está fora do ar neste momento. Porém, isso não chega a ser importante já que todos sabem que foi depois. Encaremos os fatos: dois blogs feitos por pessoas com o mesmo estilo e que parodiam livros de ateus famosos surgindo com mais ou menos um ano de difrença e tendo o primeiro apoiando irrestritamente o segundo mesmo antes de conhecê-lo melhor. Posso deixar a conclusão implícita, né?

Só para não dizerem que estou usando o desleixo do Snowball em manter aquela joça do blog dele ativo como desculpa para não apresentar fatos, vejam esse print que mostra um indício quando o snowball surgiu no orkut. Os primeiros resultados para a busa por seu nome na comunidade Contradições do Ateísmo são de out/2010 (aquele tópico de 2008 foi aberto em 2008… o snowball foi citado muito depois). Estima-se que ele tenha entrado no orkut no início do segundo semestre de 2010, um ano depois do Luciano ter aberto seu primeiro blog.

Entendam a gravidade do que apresento aqui a vocês: Snowball é como uma criança que nasceu sabendo falar, ler e escrever. A história dele no orkut desde 2004 mostra uma evolução clara de suas habilidades, uma progressão clara de seus conceitos, uma cronologia clara de seus pensamentos e uma sequência clara de seus inimigos. Luciano Henrique deu os primeiros passos, falou ‘papai’, depois falou ‘mamãe’, depois aprendeu onde fazer cocô (que é o que mais faz rs) mas o Snowball nasceu sabendo fazer tudo isso.

Não existe uma linha cronológica que mostra quando ele aprendeu a ser high-profile. Não existe um usuário de orkut que falava besteira no início e depois foi pegando as manhas. Não existe um cara que se enrolava nas argumentações mas que depois foi se focando em algo (no caso, a apologia cristã de Craig). Não existe alguém que começou um blog sem público e sem saber como funciona a blogosfera e foi pegando o jeito aos poucos.

Existe sim um cara que apareceu um dia num blog, já preparado, e que de lá pra cá manteve a mesma linha argumentativa, os mesmos objetivos, o mesmo estilo e tudo mais. E mais do que isso, amparado incondicionalmente por um blogueiro e debatedor rodado, que possuia o mesmo estilo e que tinha fama de criar de fakes. Dois blogs que nunca coincidem períodos de atividade alta mas que já coincidiram uma longa hibernação (ver em Exército de Fakes). Baseado nisso tudo, como pode alguém não acreditar que sejam a mesma pessoa? Não podemos negar os fatos e nem pressupor que a explicação mais estapafúrdia e complicada seja a verdadeira.

Não podemos esquecer do episódio cômico em que o Snowball entrevistou o Luciano Ayan e o Jeremias comentou, no site teismo.net. São coisas que só alguém viciado nessa mania chamada autofelação poderia perpetrar. Infelizmente, ele sumiu com isso da site. Será porque? O que ele tem a temer? O que justificaria apagar isso se não são a mesma pessoa? Para nooooossa alegria, alguns sites replicaram a entrevista, como este aqui.

Agora abro um parênteses para explicar a notória diferença de popularidade entre os dois blogs e especular sobre o que Luciano Henrique deve achar disso.

Notemos que Snowball sempre fez mais sucesso do que o Luciano Henrique. O próprio fato de o facebook deste últmo ter uma atividade esmagadoramente inferior ao do primeiro mesmo com este estando desativado, prova isso. Segundo relatos, a audiência em views do Snowball parado no início de 2012 era equiparada à do Luciano Henrique em plena atividade. E isso deve ser muito frustante para ele. O Luciano Henrique representa muito melhor o pensamento de seu autor do que o Snowball. Ele não possui restrições temáticas e de estilo, ele muda e evolui (evolução nem sempre é sinônimo de melhora, aqui é sinônimo de mutação orientada por pressões do meio). Ele fala o que o autor pensa, ele é o autor.

Snowball é um professor didático de apologia, levemente mais comedido e com um ligeiro e cômico ar de “acadêmico wanna be”. Sua tentativa de esboçar um estilo formal e acdêmico sério é sua marca registrada e traço forte de sua caricatura, pois ele passa quilômetros de conseguir. Estranho como alguém que mimetizou o estilo “high-profile” do Luciano em tempo recorde não conseguiu mimetizar o estilo acadêmico mesmo depois de dois anos. Não vou aborrecê-los com uma conclusão óbvia.

Além disso, ele se restringe a copiar argumentos do Craig e a usar um pouco de análise de erística. O pouco que faz além disso é medonho. Certa vez, ele resolveu responder o video de uma ateia que perguntava se uma punição eterna como o Inferno era condizente com os pecados finitos que cometemos. Ignorando a existência de um debate de Craig com Bradley sobre a moralidade de se enviar pessoas ao inferno, Snowball tentou um argumento por sua conta. Ele disse que pais podem punir filhos com castigos quando estes fazem coisas erradas, com o intuito de educá-los, logo Deus também pode. Dois problemas: pais são humanos e falíveis, podem errar julgamentos e dar castigos além da conta. Deus é definido como perfeito, então não pode dar castigos maiores do que o justo. Isso complica um pouco tal analogia, mas não a refuta. O problema é que o castigo dos pais é finito e o inferno é infinito. Fazer uma analogia com castigos finitos não ajuda em nada na justificação de castigos infinitos.

Mas de qualquer maneira, o Snowball fez mais sucesso pois atendia melhor o público cristão. O Luciano é um louco egocêntrico e excêntrico. Ele defende o indefensável contra pessoas mais do que preparadas para isso. Ele tem uma testa indestrutível, pois bate ela na parede centenas de vezes e continua de pé. Passou anos defendendo o esoterismo antes de abandoná-lo. Passou anos renegando o darwinismo antes de abraçá-lo. Vejam, James Randi era tratado como vilão da Ciência sem Fanatismo e hoje é herói do blog Luciano Ayan. E suas mudanças de opinião sempre foram motivadas por causas maiores, não porque foi persuadido por argumentos. Vejam o artigo Luciano Ayan: Idiota Savant etc (link no primeiro parágrafo), ele só aceitou o darwinismo e a neurociência porque percebeu que são armas contra o ateísmo, num claro exercício de Falácia do Apelo à Consequência. Caso contrário, diria até hoje que Darwin falhou e que 99.98% da neurociência está errada. Ou não é estranho que ele tenha defendido isso por vários anos contra pessoas capacitadíssimas e a primeira vez que mostrou ter mudado de ideia foi justamente quando disse que usaria tais princípios contra ateus? Alguém aqui acredita em coincidências?

E isso deve ser muito decepcionante para ele. Luciano Henrique é seu pseudônimo, mas Snowall é seu fake. Sua ferramenta de armar cristãos com teoria apologética é incomparavelmente mais popular do que ele mesmo. A cria superou o criador. O homem matou os deuses. Luciano Henrique é um exagerado. Pessoas comentando que pelo menos ele defende a mesma causa que eles devem deixá-lo chateado. Tanto é que ele precisa usar os fakes Marcelo Rizzo e Jeremias, como mostrei em “Bypass Político” (link na introdução), para lembrá-los de que não: ele não está só do mesmo lado, ele ainda é um deles. Vejam neste link acima o Jeremias quase implorando para os leitores do blog perceberem que o que está ali é uma defesa do cristianismo e não do conservadorismo. A política é um bypass, um caminho alternativo. “Parem de ver “ceticismo” como um termo filosófico. Ceticismo é política!”

O que Fomon parece não ter entendido (idiota savant?) é que a afirmação “eu sou cético de verdade, e os meus inimigos são pseudo” é uma alegação política, e como, tal, é vítima do ceticismo político aqui defendido.

Essa abordagem dele que exacerba o viés político de qualquer debate deseja colocar tal mentalidade por força e por repetição na cabeça dos leitores. Similar à lavagem cerebral. Mas isso não cola. Simplesmente não cola. As pessoas preferem a abordagem do Snowball porque ela é defensável. A do Luciano é indefensável, é imoral, é anti-cristã. É Maquiavélica, à medida que busca reestabelecer o cristanismo não importa como. A nobreza do objetivo vale mais do que qualquer coisa. É por isso que ele não se importa em mentir. É por isso que ele usou a palavra “política” 35 vezes em um post para falar de ceticismo (último link do parágrafo anterior). Não faz sentido, a não ser que eu esteja certo. O que ele deseja é desconstruir a definição de pseudoceticismo e implementar o conceito de “é tudo política, bitch”. Só que não dá certo… Ele pode escrever “política” 100 vezes por post em 3 posts diários, não vai colar.

Os leitores continuam preferindo o Snowball. Deve doer. Bem feito.

Resumo da ópera: de diferente do último capítulo, no período que vai do segundo semestre/2009 atéo segundo semestre/2011, Luciano Henrique é um cristão fervoroso, que luta de mãos dadas com Snowball e Jairo Entrecosto contra os malvados ateus. Está plenamente desenvolvido em sua técnica de escrita na qual banca o garotinho durão e já não vê os principais campos científicos como mentiras perpetradas por pseudocéticos (tais como o big bang, como ele achava ainda em 2008). Outra diferença é que ele abandonou seu comportamento troll de comunidades de orkut (posts em excesso e com conteúdo invariavelmene provocativo com intuito único de tumultuar, poluir e impedir o avanço do debate na direção que ele não quer). Amadurecimento ou ambições maiores? Acho que se ele não fosse tão ambicioso, estaria nessa vida de troll pentelho até hoje… opinião minha.

Capítulo 4: O retorno do troll das trevas

A última metaformose de Luciano Henrique veio depois de um período de seis meses de atividade de seus dois blogs. Uma análise mais psicológica já foi feita no capítulo 3, onde comparei seu fake Snowball com o atual estágio metamórfico do inseto Luciano. (Puts, que metáfora! As constantes e insesantes reinvenções dele o tornam comparável a um inseto!) Agora vou tratar da biografia dele de um ponto de vista mais histórico e analítico desde que retonou à atividade no final de 2011 se declarando como ateu.

Começo mostrando a “coincidência” a qual me referi ali em cima. Ele abandonou sua teimosia ridícula com Psicologia e Neurociência exatamente no mesmo momento em que declarou que ambas são arma contra o humanismo. Momentos antes, ele tinha enquadrado o Dawkins e qualquer neo-ateu como humanista logo, ele pretendia usá-las como arma contra o neo-ateísmo. Como ele não sabe de nenhum ateu que não seja neo-ateu, fora Ayn Rand, ele mesmo e os seus anedóticos amigos dos quais ele gosta muito mesmo sendo ateus, então ele pretendia usá-las contra o praticamente todo o ateísmo. (Usar o Denner Coutinho é sacanagem! Ademais, por muito menos ele já tachou muitos outros auto-proclamados conservadores como esquerdistas. Na definição de Luciano de esquerdista, Coutinho é claramente um esquerdista funcional.) Em seu retorno ele se declarou darwinista. Lembram dele dizendo que o darwinismo falha?, pois bem, depois de seis anos batendo nesta tecla, ele mudou de ideia justamente no dia que percebeu que pode usar contra ateus. I believe in coincidences, man!

Post: De volta dos mortos! de dez/2011 em Luciano Ayan (blog). Printscreen de trecho.

Depois de declarar inimigo do humanismo armado com neurociência e darwinismo, ele empreendeu uma verdadeira cruzada para reclassificar o máximo de pessoas e ideias possível como humanistas, como mostrei em “Bypass político” (link na introdução). Este meu post mostrou como até a ditadura brasileira, os libertários e o nazismo são considerados humanismo. Os links estão lá provando isso e não vou repeti-los aqui.

Sobre a ditadura brasileira ser esquerdista, é lamentável. Pouquíssimas pessoas fazem essa patuscada. Ele usa como desculpa o nacionalismo e o autoritarismo deles para dizer que são esquerda, como se a direita não pudesse JAMAIS ser nacionalista nem autoritária. Aham…

Ayn Rand é uma das inspirações de sua atual fase. Pena que era libertária de carteirinha, logo uma esquerdista funcional. Ok, ele usa os textos do suposto esquerdisa Dawkins, mas só aqueles sobre darwinismo e mesmo assim para “desmascarar” a esquerda. Mas ele não tem essa desculpa aqui: ele usa os textos sobre libertarianismo da Ayn Rand, textos com o âmago esquerdista-funcional. A sua ânsia em taxar tudo como esquerda o trai, assim como quase todas as suas posições malucas e indefensáveis ao longo de sua história.

No texto sobre nazismo, o teletubbie age como se estivesse descobrindo a roda. Mal sabia ele que essa de tentar reclassificar o nazismo como esquerda é café requentado. Tadinho dele… ele deve ter se achado um gênio com aquele “not so fast, junior” mas chegou mais de uma década atrasado. Eu fico com dó, na boa. A confusão nasceu quando alguém chegou à brilhante conclusão: “Nazismo é coletivista. Comunismo é coletivista. Logo, nazismo é esquerda.” É o mesmo que dizer: “Homens possuem cabeça. Mulheres possuem cabeça. Logo, homens são mulheres.” Na verdade, o coletivismo não é exclusividade da esquerda, como muitos equivocadamente pensavam. Os historiadores e sociólogos modernos cunharam o termo Coletivismo Darwinista para englobar uma forma de coletivismo que é compatível com o pensamento da direita. É onde o nazismo se enquadra. Mas aposto que o gênio nunca ouviu falar dos termos “Darwinist Collectivism” ou “Reform Darwinism” presentes aqui, senão no mínimo não faria um post reinventando a roda. Bobinho. Ele não sabe o que é estudar o estado da arte. Vai pegando o que vê pela frente sem dar uma olhada no que já foi feito antes.

(Parênteses: ele parece ter mudado sua opinião dele sobre peer-review. No seu post “Not so fast, junior” – aquele que apresenta o programa nazista como prova de que é esquerdista – ele diz que se alguém quiser que o faça. É exatamente assim que se faz peer-review mesmo! É exatamente assim que se ganha em credibilidade! Vou escrever minha dissertação de mestrado e se meu orientador quiser que venha no meu meu computador, imprima e leia. Pra que submeter?)

Continuando. Pouco depois de seu retorno, ele se declara contrário ao racismo, o que é de se causar espanto (tudo de bom que ele faz causa espanto rs) Neste debate que teve com o Fabrs no orkut, ele afirmou que a racismo é crime inafiansável porque é preconceito com pessoas que não tiveram escolha. O que não deixa de ser curioso: ele ainda fala como se ser negro fosse algo ruim. Vejam bem, a construção: “não podemos falar mal de x, porque x não teve escolha e nasceu assim” normalmente implica que x seja algo ruim. Já viram alguém dizendo: “não podemos culpar o Thor Batista por ser rico, ele nasceu assim” ou “não podemos culpar a Juliana Paes por ser gostosa, ela nasceu assim”? Em nossa língua, tais construões soam completamente estranhas. Mas construções como “não podemos culpar o aleijadinho que atrasou a partida do ônibus, ele nasceu assim” soam em total concordância com a construção. Será que para ele, ser negro é um defeito sério tal como nascer aleijado ou com alguma Síndrome, mas “que não podemos falar mal deles, tadinhos, eles não têm culpa”? É o que sua construção dá a entender. E sim, mais uma vez, este é um raciocínio 100% válido.

Tópico: Fabrs x Luciano – homossexualismo de fev/2012 em Área Radioativa (não posso certificar a cópia porque o fórum da comunidade não pode ser acessado de fora do orkut, só por membros. Mas esse post tem um OK no fim, singificando que ele passa a vez pro Fabrs. Se na terceira página, tiver um OK faltando antes do Fabrs começar a postar, é porque este post foi apagado. Desta vez, dei sorte!) Print onde Luciano declara ser contrário ao racismo.

Ainda sobre preconceito, neste debate acima ele defende que o homossexualismo é um comportamento maníaco (ele é médico, lembram?, devemos confiar no diagnóstico dele).  Além disso, diz que é anti-natural e ameaçador à sobrevivência da espécie humana. Quanto a esta última, uma verdadeira patuscada. Completamente non-sense. Sobre o fato de ser anti-natural, ele esquece (ou ignora) estudos científicos como este e este. Sendo verdade, ele fica forçado a ver o homossexualismo como parte da história evolutiva humana. E como darwinista apaixonado e emocionado, deve ver tal comportamento como heróico tributo a nossa sobrevivência como espécie e como algo perfeitamente natural. Anyway, ele trai mais uma vez seu alegado ateísmo ao agir de maneira completamente anti-secular (vejam Luciano Ayan: Idiota Savant, etc).

Não estou criando um caso pró-homossexualismo aqui. Só quero reforçar este viés de sua biografia: se declarar algo que não é. Ele se declara especialista em manias e comportamento, mas alega que homossexualismo é mania. Peço que ele me ensine como o sexo entre pessoas do mesmo sexo realizado com fins (obviamente) recreativos difere do sexo heterossexual recreativo de tal modo que o primeiro seja uma mania e o segundo não. Sem rodeios, explique. E não interessa a sua opinião, que você dirá com convicção para fingir que está falando cientificamente. Quero textos científicos independentes (peer-reviewed, que você tanto gosta) que explique porque um é maníaco e outro não. A alegação é sua e eu duvido dela porque não tem evidências. Entendeu a regra do jogo?

Ele se declara cético, mas não aponta seu ceticismo a si mesmo. Lançar dúvidas contra o homossexualismo, qualquer um consegue e isso não torna ninguém “homocético”. Aliás, a definição de homocético apresentada por ele define no que a pessoa deve acreditar e no que ela não deve acreditar! CARAAAAAALHO! Orwell mandou um abraço! Não dá pra levar a sério mesmo, né? Definir o termo homocético como pessoa que não acredita em x mas que acredita em y é pacabá! Devia se definir como homodogmático, um termo muito mais adequado ao significado apresentado.

Post: Um homocético sai do armário de fev/2012 no Blog Luciano Ayan (cópia certificada). Print mostrando os dogmas a serem seguidos pelos homocéticos:

Pirou na bizarrice? Dogmas do ceticismo… puts, essa não poderia faltar na sua biografia de forma alguma. A prova cabal de que ele não faz ideia do que é ceticismo. Outro erro grotesco ocorre quando ele diz em “Quem disse que só esquerdistas podem usar terminologia politicamente correta?” que conservadorismo é ceticismo político. Então, o mero fato de ser cético em questões políticas já enquadra uma pessoa como conservadora? Um esquerdista JAMAIS pode ser cético? Que piada. Mais uma vez, confunde defender o lado que julga ser o correto com ser cético. Repito, uma pessoa pode ser dogmaticamente conservadora ou ceticamente socialista e vice-versa. E isto ainda esconde um falso-dualismo, uma falácia famosa. Mas talvez “falácias” tenha saído da lista de coisas nas quais um cético não pode acreditar, junto com a neurociência. Vai saber, né?

Post: Quem disse que só esquerdistas podem usar terminologia politicamente correta? de fev/2012 em Blog Luciano Ayan. Print onde ele diz que conservadorismo é sinônimo de ceticismo político.

Sobre este print acima, some com este aqui embaixo e verão como ele tenta reinventar a roda ao definir ceticismo nos termos dele. Pegou a definição de pseudoceticismo do Truzzi, rebatizou e acrescentou que isso é meramente político. O print abaixo mostra ele reinventado a roda mas fazendo-a quadrada.

Post: Eles são legião de macacos de laboratório de ago/2012 em blog Luciano Ayan. Além de chamar duas pesoas de legião (o sexo papai-mamãe tradicioal virou suruba?), ainda solta uma dessas:

Vamos refazer os passos. Marcello Truzzi disse que alguém que se declara cético deve mostrar o raciocínio para mostrar se foi cético mesmo ou não, sob a pena de ser considerado pseudocético. Luciano diz que essa atitude foi inventada por ele. Luciano diz que isso se chama ceticismo político. Luciano diz que ceticismo político é conservadorismo. Então, pseudocético é, por definição, esquerdista. O dogma da religião política dele é dizer que defende o lado cético. Ou seja, ele é pseudocético. Ou seja, ele é da esquerda. Gênio.

Encerrando sobre ciência/ceticismo, naquele post em que ele volta o blog Luciano Ayan à ativa, no finalzinho do print ele diz que memes não existem. Os memes estão sendo absorvidos pela teoria da evolução e poucos cientistas ainda têm dúvidas de que são um campo promissor. Mas o Luciano sempre duvidou disso como no seguinte tópico de orkut. Incrível como alguém aceita o darwinismo, mas só as partes que ele pode usar contra ateus. Não tenham dúvidas de que ele não é nem nunca foi (e provavelmente nunca será) um cético. Ele é alguém que duvida do que não gosta e que acredita no que interessa. Sua biografia provou isso. Voltem no tópico “Dawkins e os escravos da superstição” e vejam que o negacionismo dos memes do final de 2011 vem desde 2008, pelo menos. (Será que um dia ele vai perceber o potencial anti-ateu dos memes e aceitá-los?)

Outro estrategema duvidoso e repetido às cacetadas naquele blog é que esquerda e humanismo é religião. Não, não é uma metáfora. Para ele, são religiões de fato, tais como o cristianismo. Diferente do Nihil Lemos que defende que o humanismo é como uma religião (o que é intelectualmente aceitável e racionalmente discutível, independente de eu concordar ou não), Luciano Henrique defende absurdos como a proibição de se falar sobre humanismo em sala de aula por se tratar de uma afronta ao Estado Laico! Pérola das pérolas das pérolas das pérolas. A justificativa dele é que de fato existe uma igreja chamada Humanismo Positivo (ou algo assim), que tem cinco (5!!) sedes físicas em todo planeta e uma quantidade de seguidores quase nula, tendo sido ridicularizada até pelos positivistas contemporâneos de Comte. E mesmo que tal Igreja fosse relevante de alguma forma, isso seria a Falácia da Generalização Apressada – tomar o todo pela parte. Viram, nem 5 linhas!

Post: Em defesa do verdadeiro estado laico nas salas de aula da escola pública de abr/2012 no blog Luciano Ayan. A analogia dele virou realidade. Só falta avisarem aos juízes de todo Brasil que ele modificou o conceito de religião e que há agora uma nova jurisprudência para agradá-lo. Nota-se como ele não entende nada de leis…

Post: Humanismo: religião ou não? de jul/2012 em blog Luciano Ayan. Vejam como o trecho abaixo não sobrevive ao argumento de cinco linhas al em cima. Aliás, é triste ver alguém dizendo que juízes devem punir professores que falarem sobre humanismo em sala de aula tendo como base isso aqui. E ainda por cima, paga de gostosão no fim… Aliás, comemorar vitória é uma das estratégias mais comuns dele para parecer que escreveu alguma coisa além de “blablabla eu sou cético e vcs não blablabla”

Sobre posicionamento em temas “complicados”, já mostrei o que ele pensa atualmente sobre negros e gays. Sobre aborto, drogas e eutanásia, já mostrei em “Bypass político”. Ele diz ser favorável à liberação dos três, mas que não defende publicamente por ser coisa de esquerdista. Se fosse presidente, aprovaria isso de maneira autoritária, penso eu. Mas como provavelmente isso é só uma forma de criar espantalhos esquerdistas, acredito que ele continue contra tais pontos. Então, fica fora da biografia.

Sobre manipular debates, teve uma vez que ele apagou um comentário meu, mas publicou uma resposta com quotes de trechos. Os trechos omitidos beneficiavam os argumentos dele (claro). Acusei-o de ter inventado os trechos, pois assim ou se passava por mentiroso ou mostrava os trechos que omitiu. Dito e feito: venci ele usando as próprias regras dele. Só um panaca consegue perder jogando com as próprias regras. Vejam como provei que ele manipula debates no Tópico: DESAFIO Bruno vs Luciano: Manipulação de Debates de dez/2011 na Área Radioativa, que continua neste outro Tópico: C.A vs Bruno Almeida mesma data, mesma comunidade. (Observação: Bruno Almeida é um antigo pseudônimo meu.) Não se enganem, C.A. é o próprio Luciano Henrique. O estilo nunca mente, e já mostrei que debatedores que surgem do nada debatendo com a mesma habilidade que ele são na verdade ele.

Sobre sua postura ríspida, é mero cão que ladra mas não morde. Desafiou-me a mostrar-me provas de que ele não era Snowball. Pensou que capitalizaria quando eu fugisse, mas eu estraguei tudo e aceitei. Quando eu disse que as regras deveriam ser rígidas para evitar que ele me fraudasse usando proxys ou amigos na internet, ele fugiu.

Post: Mais uma refutação ao “poderoso” OTF de jun/12 no blog Luciano Ayan. Primeiro, vejam ele correndo do próprio desafio sob desculpas esfarrapadas esdrúxulas (não troco email com tipos suspeitos… UI!!)

De quebra, um print com uma manipulação de debate que só o hábito de anos e anos dele poderia arquitetar (mesmo post). Ele diz que sou um cão e na resposta, ironizo ele com latidos. Uma piada bem humorada e despretenciosa. Mas ele tira a parte que explico isso e colca o latido sozinho, como se fosse prova que sou desequilibrado. Pena que qualquer um que some 2+2=4 consegue bater o olho e ver a tentativa de fraude dele.

Outra fraude famosa dele foi excluir a categoria “Controle de Frame” do blog quando percebeu que ele estava usando o termo indevidamente com dois significados distintos. Ele nega, assim como nega tudo que não se pode dar provas cabais, irrefutáveis e inquestionáveis (quase nunca). Ele não tem moral para negar acusações, a um altura dessa devem ter notado. Visitem meu post Falando ao Coração – Parte 3: O uso pejorativo e as evidências de fraude e descubram como ele fraudou o próprio blog, atitude extrema que floresceu do seu hábito antigo de manipular o debate e enganar até mesmo seus leitores.

Capítulo 5: O Grande PIKACHU surge

O que é o blog dele hoje? Apologia via método do bypass político. Suas crenças continuam sendo reflexo direto de seus interesses e de seu estado mental. Ele continua sendo um pseudocético (o que se declara cético mas que não é). Seu comportamento em debate não mudou em nada: continua um cão raivoso que briga usando o combo repetição+convicção.

E como explicar essa total ausência de progresso? Simples: ele está em franca decadência.

Uma das formas mais clássicas de decadência é o apego aos hábitos antigos. Ao invés de evoluir, a pessoa se agarra quase que neuroticamente a hábitos antigos, se recusando a seguir em frente. É o que acontece com lulu henrique. Mesmo tendo finalmente alinhado seus posts em um discurso um pouco mais bem definido, ele continua, mesmo depois de um ano desde o fim do capítulo anterior, encontrando sérias dificuldades em debater com as outras pessoas. Vejamos os sintomas:

1. Alinhamento com o Tea Party americano/Perfil Reacionário: O Tea Party é um movimento profundamente cristão e ultra-conservador americano que tem tentado (com certo sucesso) dominar o Partido Republicano. Não consigo imaginar um ateu alinhado com o Tea Party como ele, mas o importante é que um de seus maiores mantras recentes é a luta pelo Estado Mínimo. Para quem não sabe, a luta pelo Estado Mínimo é uma obsessão não da direita, mas dos libertários e dos reacionários. Reacionários são justamente os cristãos que adotaram uma visão que pelo lado econômico é ultra-liberal e pelo lado social é ultra-conservadora.

Façamos uma busca pelo termo “estado mínimo” no blog dele e vejamos como no período de 2013 o assunto era discutido quase que quinzenalmente. E ainda ficou todo putinho quando falei mal do Tea Party por aqui. Usou seu fake “Investigador de Humanistas” para fingir que não foi ele quem pegou aqui e levou para lá, para depois me “responder”. Post: O problema moral de um presidente do BNDES que justifica o gasto de dinheiro público com Eike dizendo que “o mercado também fez”, (14/JUL/2013) comentários:

Ano vai e ano vem, e ele continua exatamente na mesma… como veem, o disco não muda. É sempre o leva e trás do Investigador de Humanistas. É sempre o mesmo tipo de resposta absurda. A mesma fuga do debate com acusações malucas. Ele não ganhou confiança para fazer melhor que isso até hoje!

2. Estratégia do bypass político: Continua fazendo a confusão proposital entre ateísmo, esquerda, humanismo, humanismo secular, petismo, comunismo, marxismo, LGBT, feminista etc para tirar proveito. Fez uma alegação feminista? Então é esquerdista que recebe do PT para divulgar as estratégias de Gramsci, além de ser humanista, o que é equivalente a ser maluco. Uma padre criticou a Igreja Católica em uma única coisa? Não dá para entender como este esquerdista odeia TODOS os dogmas do catolicismo! (Ver Como ridicularizar fácil o ex-padre maluco que exige na Justiça retornar à Igreja Católica (mesmo odiando todos seus dogmas) Um casal gay processou Igreja? Marxistas alinhados com a ATEA e com as estratégias de Gramsci! (Ver Marxismo cultural e guerra de posição: Casal de homossexuais vai à Justiça para obrigar igreja a realizar cerimônia de casamento gay) Brochante…

3. Deletando comentários. Seria de se esperar que o garoto fosse ficando mais confiante em si mesmo à medida que seu pensamento fosse ficando mais alinhado e coerente, mas ele continua cagando de medo de responder críticas mais pesadas. No caso do casal gay acima, respondi o seguinte no blog dele:

Quando a esquerda tenta definir o que as igrejas e templos devem ou não fazer dentro de suas propriedades, eles nos demonstram que rejeitam o direito de propriedade e, a partir daí, podemos expô-los ao público como inimigos da humanidade.

Falácia da Dedução Indevida. Não se pode deduzir que sejam contra a propriedade privada só porque processaram a igreja.

Falácia da Indução Indevida. Não se pode induzir que se uma pessoa é contra a propriedade privada da Igreja então ela é contra toda e qualquer forma de propriedade privada. Rejeitar um não significa rejeitar tudo.

A mente psicótica e psicopática, já doutrinada em esquerdismo, vai pelo caminho diametralmente oposto: “Independente da escolha ser privada, eu quero ditar as normas dela, usando o poder de coerção que eu tiver às mãos”. A diferença moral entre alguém de direita e de esquerda deve ter ficado clara neste momento, não?

Um exemplo de contra-caso interessante são os conservadores que querem definir quais os tratamentos que o Conselho de Psicologia aprova ou não. Ora, se os conservadores querem ditar as normas do CFP, tal comportamento não pode marcar o ponto de divisão entre esquerda e direita.

Obviamente ele não publicou isso. Não seria capaz de responder.

Outro grande sintoma de sua decadência é seu apego ao orkut. Inexplicável! Em pleno 2013, ninguém dá mais a mínima para isso, exceto ele. Recentemente, usando um perfil falso chamado Julia Andrade, conseguiu a confiança do dono da Comunidade Contradições do Ateísmo e se tornou moderador. Algum tempo depois, resolveu ir na comunidade de madrugada e banir 2.500 dos 3.000 membros da comunidade.

2.500 banimentos!

Alguém aqui tem noção de quanto tempo se leva para fazer isso? Consideremos o tempo que leva para clicar na lista, carregar a página de cada pessoa, trocar a aba, banir, esperar carregar de novo e fechar. Depois de um certo número de pessoas banidas, carregar uma nova lista de membros e banir mais uma renca. Um trabalho de algumas horas que é extremamente repetitivo e sem graça. De onde alguém tira motivação para isso?? Começo a desconfiar que o garoto precise de tratamento psiquiátrico, e não estou falando para provocar. Uma pessoa que consegue se motivar para passar horas banindo pessoas exaustivamente de uma comunidade semi-abandonada do orkut só pode ter alguma neurose.

Tópico: FIXO – Atos da moderação em 08/AGO/2013 na Contradições do Ateísmo. Julia bane os 2.500 membros, Vinicius descobre tudo e Luciano troca o nome dela para provocar.

E eles nem podem dizer que não avisei. Eu já tinha dito há um tempo atrás para todos naquela comunidade que ela estava infestada de fakes do ayan, me referindo ao padre e ao natã (sim, ele usa um fake com o nome natã que vimos anteriormente), e que capaz da Julia estar no meio também. Acharam que eu estava exagerando.

Tópico: FIXO: Pedidos à moderação em 08/AGO/2013 na Contradições do Ateísmo.

Mais tarde, ele tentou usar um fake que ainda não tinha sido pego para tentar ganhar a confiança do Vinícius, dono da comunidade. Nos prints abaixo, ele é o “Padre comeu o Andy” e usava uma foto do mesmo Andy, apesar de estar postando na época como Vitor. Ele chegou a pedir no mesmo tópico o cargo de moderador para o Vinícius!

Egocêntrico, usou o Vitor para contar para todo mundo seu grande feito: deletar 2.500 pessoas. Vejam o “Padre comeu o Andy” contando para todo mundo o que ele quando ainda acreditavam que o perfil era mesmo de um tal de Vitor.

Quando o perfil Vitor foi descoberto, Vinícius voltou no tópico FIXO – Atos da moderação e o baniu. Como vingança, ele trocou o nome do perfil para insultar o membro Andy, usando sua foto. Como o membro Guaxinim notou, ele sempre faz isso quando é expulso de uma comunidade. Lembremos de alguns anos atrás, conforme contei anteriormente nesta mesma biografia, quando foi expulso de uma e colocou a foto da irmã do Eli Vieira de vingança. Como podemos ver, ele não muda. Não se desapega dos antigos hábitos. Este é o primeiro sinal de sua decadência.

Podemos dizer que nosso colega Luciano é o Pikachu: se recusa a evoluir!

Capítulo 6: A Era Hebdo (atualização 13/08/2016)

Com o atentado terrorista ao jornal Charlie Hebdo em janeiro de 2015, podemos dizer que nosso querido Lulu entrou em uma nova fase de sua proeminente carreira de pulha: a de escritor de best-sellers. Tão logo ocorreu o atentado, Lulu resolveu escrever um livro defendendo o jornal com tendências comunistas para provar a deus e o mundo que ele é a favor da liberdade de expressão (aham) e que a esquerda está criando monstros com seu politicamente correto.

Nada de novo sob o Sol, não?

Luciano Ayan se fingindo de cético defensor da liberdade não é novidade. Todos sabem que ele espuma de raiva quando vê comunistas, se pudesse é capaz até que participaria do atentado, até parece que quem o conhece não sabe que foi uma defesa meramente pragmática, falsa e interesseira.

E Luciano Ayan surfando nas ondas do lugar comum é algo novo, mas não chega a ser surpreendente. É fácil bater em cachorro morto: criticar o PT e os guerreiros da justiça social de nossa esquerda pós-moderna e seu politicamente correto é algo tão simples que faz qualquer um parecer inteligente. Ao que parece, o Ayan resolveu priorizar seu lado de junk-feeder, um mero digitador de textos falando mal de esquerdista para os conservadores anti-sociiais lerem, curtirem e compartilharem.

De qualquer forma, o livro dele está aí no mercado. Como podem ver nos comentários deste post, sua publicação foi quase um parto, tanto é que saiu 18 meses após o atentado (depois do assunto já ser discutido quase que à exaustão). Saiu por um editora pequena, que tem tentado crescer com conteúdo para conservadores, e sem seu nome verdadeiro (ou seja, continua um medroso covarde.) Nenhum site de livros possui cópias de seu best-seller, e não é porque esgotaram-se todas, mas porque eles só permitem fazer encomendas junto à editora.

Em outras palavras, mais de dez anos depois de ter surgido no orkut, Luciano Ayan continua sendo o mesmo farsante de sempre, fingindo defender um jornal que não gosta para fingir que defende a liberdade. De novo, só que ingressou no show business com um livro que chegou mais atrasado que o Barrichelo e com posts estilo “espancando cachorro morto”, nos quais mostra toda sua astúcia provando que o PT está errado para pessoas que já sabem que o PT está errado e refutando a justiça social para quem não acredita na justiça social. Nunca vai faltar likes de desajustados sociais e de fakes dele.

Capítulo 7: Conclusão

Apesar de estar sempre se adaptando a novos pensamentos, Luciano não passa de um Pikachu que nunca evolui. Na verdade, as mudanças que ele promove são meramente estéticas e possuem o objetivo único de irritar. Se como ateu ele irrita mais do que como cristão, ele “vira” ateu. Se como darwinista ele irrita mais do que como criacionista, ele “vira” darwinista. “Vira”, entre aspas mesmo, pois ele continua sendo um cristão criacionista. Um Pikachu nunca evolui, no máximo forja algumas mudanças projetadas para tentar (sim, apenas tentar) irritar.

Vejam como ao longo dos anos ele segue algumas regrinhas de Pikachu que nunca mudam:

  1. Declara-se como o único e verdadeiro cético, mas nunca age como tal.
  2. Seleciona suas crenças conforme seus interesses.
  3. Apaga posts seus e dos outros para manipular o debate.
  4. Usa fakes para elogiar e/ou promover a si mesmo.
  5. Postura desnecessariamente ríspida e mal-educada (“high-profile”) para assustar.
  6. Mentiras biográficas intermináveis.
  7. Ódio irracional aos ateus.
  8. Respostas a picotes dos textos alheios, o que gera distorções sistematicamente.
  9. Flertes periódicos e de sinceridade duvidosa com o ateísmo/agnosticismo.
  10. Séria dificuldade em pesquisar sobre o estado da arte antes de se posicionar (vide questão da moralidade do inferno e questão do nazismo ser de esquerda). Como resultado, ele fica tentando reinventar a roda constantemente.

De hater de Randi, que esmagava esotéricos como ele, “passou” a tiete do Randi, pois isso o permite construir casos contra ateus. De negacionista da evolução, da neurociência e da psicologia, “passou” a emocionado defensor de trechos convenientes dos três campos acima como arma contra ateus. Apresenta os dogmas de uma doutrina chamada “homoceticismo” e diz que ceticismo é algo que tem a ver com política. De cético, ele não tem nada. Trata-se apenas de um conservador cristão dogmático que seleciona suas crenças científicas de acordo com seus interesses.

Há muitos relatos no orkut de que chamava negros de crioulos e nordestinos de paraíbas para ofendê-los. Abandonou a prática há muito tempo e hoje diz que não devemos ofender os negros porque, coitados, eles nasceram assim, tadinhos. Que culpa eles têm?

Quando se olha para o blog dele como um rapaz que diz: “gente, usem o bypass político na hora de argumentarem com os ateus, PELO AMOR DE DEUS!”, absolutamente tudo faz sentido. Quem leu o post “Bypass poítico” sabe disso.

Isso tudo é visível desde seu “nascimento” no orkut em 2004. Até abrir seu primeiro blog, era considerado troll na maioria das comunidades que frequentava. Muitos diziam que discordâncias era normais, mas que as dele eram feitas de modo propositalmente insalubre e contraprodutiva. Seu lema era: “se este tópico está correndo para uma direção que não gosto, então tenho a divina missão de impedir que continue.”

Espero que o conhecimento da biografia dele tenha ajudado vocês a entenderem porque não se deve dar confiança a nada do que ele diz. Ele não se leva a sério, então porque alguém mais deveria? As inúmeras contradições biográficas traem suas mentiras que não podem ser calculadas. A vida dele é uma mentira. Quando ameaçaram ele de expulsão da Céticos SA, ele começoua atacar seus próprios defensores, implorando por uma expulsão que o faria se sentir importante. Quando ameacei ignorá-lo, ele me acusou de covarde, como quem pede para eu não abandoná-lo. Agora até fraudou printscreens com meu IP, num pedido berrante de que eu o responda. Engalfinhar-se com pessoas como eu é o que dá sentido à pobre existência dele. Destruir sua mente frágil e facilmente influenciável por propaganda seria algo que eu adoraria fazer, mas tenho objetivos mais nobres, edificantes, admiráveis e menos dispendiosos em mente.

Por fim, replico aqui um recado que o Gilmar me deixou no facebook em 22 de julho deste ano e que, junto com a metáfora que homenageia suas constantes metamorfoses interesseiras, será matéria-prima para uma alcunha:

Cara, viu o post recem publicado lá no ayan? No trecho em que ele diz “os esquerdistas estão ganhando de lavada na guerra política, pois usam a mentira em enorme quantidade” estava escrito “mentem em proporções bíblicas”, ahahah, eu perguntei se isso queria dizer quem mentem como os antigos líderes e profetas bíblicos mentiam, ou se queria dizer na mesma proporção em que os atuais representantes do cristianismo bíblico mentem. .Ele mandou meu comentário para lixeira e corrigiu o texto, ahahaha! E eu não printscreenei!

O resumo da biografia desta [nada] célebre e deprimente figura pode ser resumido com um novo epíteto: o Pikachu que mente em proporções bíblicas. Em todos os sentidos possíveis e imagináveis.

De tempos em tempos, tenham paciência, juntarei ânimo para contar o que ele anda fazendo. Mas Pikachu como é, sabemos que ele sempre será um raivoso anti-social que odeia ateus e comunistas com todas as forças e que não tem confiança em si o suficiente para debater com as outras pessoas. A pergunta é: quais ideologias que vai fingir que assumiu? E qual a próxima história bizarra? São estes os únicos mistérios que o Pikachu nos oferece.

133 opiniões sobre “Luciano Ayan: uma breve biografia – de troll no orkut a “líder” conservador fake”

    1. Uma “biografia” sua escrita pelo aiã seria tipo um artigo da desciclopédia feito para atacar um grupo político ou religioso, isso tá se tornando cada vez mais comum lá.

      Curtir

  1. JMK e Acauã são peixes pequenos. Esse post tem mesmo é que chegar ao conhecimento do Francisco Razzo e do Paulo Junio de Oliveira. Os dois também vão querer um poster como esse: Poster

    Na verdade até eu estou me sentindo idiota depois de tanto tempo dando atenção para essa figura!
    E eu gostei do Marco Abramo cogitando se o Luciano não seria um protótipo de Inteligência Artificial que detecta palavras-chave e responde automaticamente com base nelas tão tosco que mais merecia ser chamado de Burrice Artificial; casa bem com minha suspeita de que ele seja um idiota savant!

    Curtir

  2. Quer dizer que EU tenho como profissão “cair na onda do Luciano Henrique” ?

    Justamente eu, que já critiquei tantas vezes nêle o materialismo e a crença cega nas tais “psicologia evolutiva” e “dinâmica social” ?

    Bruno, você e a Gilmara realmente são… patéticos.

    assinado: John Michael Kane
    [ ou melhor, Kenneth Gibson😉 ]

    Curtir

    1. Então talvez você seja um mal profissional rs

      Mas só esclarecendo o que (de fato) não ficou claro: estava dizendo que você sempre cai na dele quando se trata das disputas entre eu e ele. E vamos combinar, tem vez que parece que você concorda com ele sem sequer ter lido minha versão =/ Isso já aconteceu alguma vez ou estou exagerando?

      E vc acabou de ganhar uns pontos comigo pelo seu email! Hahaha… se bem que prefiro o iori assassino à leona assassina😛

      Atualização do comentário: revendo o texto, eu tinha deixado muito claro isso que falei aqui em cima: que eu estava me referindo somente aos pontos em que eu e ele divergimos e que você se posiciona a favor de maneira suspeita. Não me referia a creditar em tudo que ele escreve rs Prestenção rapá!

      Curtir

  3. Ora vejam só… mentira realmente tem perna curta. Um bom trabalho, Bruno (lerei com mais atenção quando tiver mais tempo). Espero que o “Luciano” um dia aprenda que expressar opiniões com honestidade intelectual e com a mínima bagagem em estudo, dando o nome e a cara a tapa na internet, é algo recompensador. Falo por mim.

    Curtir

  4. Tudo bem, desta vez li com mais atenção, e aceito o puxão de orelha.

    Agora, que a tua estupidez é muito maior que a minha, disso não tenho a menor dúvida.
    Na tua cabeça cabe direitinho a carapuça daquela anedota européia do século 19, sobre o universOtário russo que um dia recebeu de presente um mapa astronômico, e que no dia seguinte o devolveu com “correções”. Moral da estória: conhecimentos nulos e presunção ilimitada, esta é a tua marca registrada.
    [ Até rimou, vixe !!🙂 ]

    Curtir

    1. Conhecimentos nulos sobre o que? Sobre termos inventados por um loser tais como Ceticismo Político, Religião Política, Controle de Frame etc?
      Presunção ilimitada não é se colocar como possuidor do único ceticismo correto e válido do mundo, quiçá do universo, como vc-sabe-quem faz?
      Não dá pra entender qual é a sua… tenta acompanhar aqui uns tempos e ver o que eu tenho a dizer e a forma com que faço isso e verá um cara esforçado em aprender e compromissado em usar o que há de melhor que já foi escrito em cada assunto que me interessa.
      Depois compara com invencionices megalomaníacas e egocêntricas que vc vê por lá e voltamos a conversar. Pode ser?

      Curtir

  5. Eu sou um dos antigos participantes da comunidade “contradições do ateísmo”.
    E já faz um tempo desde que pisei lá. Mais de um ano.

    Enfim… Esse post é mais uma achincalhação do que qualquer coisa. Na época que eu ainda debatia, já haviam tópicos sendo criados cujo único intuito eram falar mal do Luciano. O Eli Vieira, inclusive, já partilhou da vergonha junto com o Luciano, ao se xingarem em vários tópicos à época…

    A falácia mais “batida”, ainda mais nessa época de eleição, que é o ad hominem, simplesmente permeia do início ao fim. “O Luciano é isso, o luciano é aquilo. Não gostamos do luciano.”…

    O autor tenta transmitir a idéia de que o luciano é um otário que vive a vida na internet, e ele faz isso pesquisando a vida do cara inteira na internet. Parece até obsessão.

    E isso não é novidade, porque já era assim desde 2009 se bem me lembro… A mesma palhaçada se repete mais uma vez. O Eli Vieira também já postou um monte de besteiras sobre a vida pessoal do luciano, à época. Não sei se são verdadeiras ou falsas. Mas que são besteiras, são. Regadas a apelidos carinhosos, e um chamando o outro de apelidos com teor sexual a cada parágrafo.

    Eu sinceramente não vou mais com a cara do Luciano. Os argumentos dele (Na área do Teísmo) são (em sua maioria) bem elaborados. a refutação dele ao livro de Dawkins é quase perfeita. E digo que é quase perfeita porque ele admite que, em alguns pontos, Dawkins está certo (como realmente está). A maioria simplesmente OMITE quando o “adversário” está correto.

    Então, porque eu não vou mais com a cara dele? Porque eu acho (pela minha experiência na CdA) que SIM, ele usa fakes nas discussões. E acho que ele desrespeita os debatedores ateus E teístas desnecessariamente. Enfim, com base na MINHA experiência, é isso que penso.

    (O caso do “snowball” é grave: Não tem como não desconfiar… Pode até não ser fake dele, mas que parece…)

    E continua na mesma. vocês passam a vida de vocês a falar mal do Luciano e “esquecem” dos argumentos dele. Eu inclusive já refutei o Luciano quando ele falou merda sobre criacionismo – pelo que vi aqui, o discurso dele mudou: Agora, o criacionismo tem um “lado bom”, mas antigamente ele dizia que era “munição gratuita pros neo-ateus atacarem os religiosos”.

    Detalhe: Eu fui ofendido naquela discussão, se bem me lembro, fui acusado de ser um “Fake ateu se passando por teísta para fazer ridículo”, mais ou menos isso, PELO PRÓPRIO LUCIANO, justamente quando demonstrava que a idéia que ele tinha sobre o criacionismo era errada e que ele não estava sendo cético mas sim um idiota.
    E no final das contas agora ele defende a mesma idéia que eu. Legal…

    Resumindo: Eu concordo com a maior parte do que foi colocado aqui. Concordo que o Luciano não parece ser um cara normal e deve ter motivos para se esconder atrás de seus “supostos” incontáveis fakes. Mas isso já saturou. Isso já se repete a ANOS.

    Curtir

    1. Eu acho que você concorda comigo não em quase tudo, mas em tudo, especialmente nos pontos nos quais você acha que discorda.

      Explico: eu fiz esta biografia para causar nas pessoas o mesmo tipo de desilusão que você teve. Mostrar às pessoas que ele se comporta de maneira infantil, desnecessariamente grosseira e completamente anti-debate quando colocado contra a parede. Quis mostrar às pessoas que não vale a pena debater com ele. Ele nasceu como um troll e nunca perdeu o espírito troll, apesar do atual requinte. Em suma, não vale a pena debater com ele. Quero que as pessoas deixem de ir com a cara dele pelos mesmos motivos que VOCÊ deixou de ir com a cara dele, percebe?

      Sobre usar tópicos de orkut como prova… o tópico que serve de carro-chefe é aquele sobre a expulsão dele da comunidade Céticos SA e nele há muitas pessoas que defendem a permanência dele apesar dele ser “um mala”. Nessa época, ele ainda não estava na CdA, então é possível que você não tenha convivido com ele nessa época. Como eu disse, quando ele saiu da CSA, ele migrou pra CdA, onde contava com a vista grossa do Vinícius (e não diga que ele não faz um pouco…)

      Outros tópicos que coloquei diziam respeito a pessoas comentando dados da biografia auto-atribuida do Luciano e que ele apagou. Como provar que ele alegava ser médico? Ou eu coloco um tópico onde ele diz isso ou eu coloco tópicos onde as pessoas comentam o fato dele ter dito isso. Não faz muita diferença, os dois têm quase o mesmo valor probatório. Porque as pessoas daquela época inventariam que o Luciano alegava ser médico para depois acusá-lo de mentir sobre isso? Isso não seria desonesto da parte deles, isso seria estúpido da parte deles.

      Por fim, você fala dos argumentos dele. Bem, existem dois tipos de argumentos dele. Os primeiros são os argumentos que ele pega(va) do Craig, Platinga etc Mas não são exatamente dele e alguém poderia trabalhar com respostas a esses autores diretamente. Os outros argumentos dele são os dele mesmo e, sinceramente, nunca vi nenhum que prestasse. Vai lá no blog dele hoje e vê a brilhante tese de que a esquerda é uma religião no sentido denotativo e não no metafórico – e que Hitler era um ateu que seguia tal religião. É patético. Vai lá ver ele usando psicologia evolutiva do acasalamento humano para explicar o comportamento das pessoas no debate. Vai lá ver ele dizendo que não se pode defender o criacionismo num debate contra ateus porque isso os torna vulneráveis (ele diz abertamente: acreditem, mas não defendam). Vai lá ver ele dizendo que não se pode defender a proibição do aborto tendo como base a Bíblia, porque os ateus dão um baile quando os cristãos fazem isso. Ao invés disso, os cristãos devem arrumar um jeito de dizer que a pessoa que defende a legalização do aborto seja esquerdista e depois extrapolar isso e dizer que ela é esquerdista em tudo o mais, para então usar a crítica aos pontos em que a esquerda está errada para desacreditar todas as visões que a pessoa tem. Eu chamei isso de Bypass Político para pregações apologistas (https://blogdomensalao.wordpress.com/2012/08/13/controle-de-frame-sou-ateu-parte-2/) e se você não leu esse artigo, deveria ler. É patético, mas é o que ele ensina dia após dia. E é justamente o que você não gosta nele. Leia também o artigo Worth it? (https://blogdomensalao.wordpress.com/2012/08/15/worth-it/) que você vai me entender bem melhor.

      Agora, se você ainda acha que não vale a pena alertar os ingênuos que ainda acreditam nele que ele age assim e que não merece credibilidade NENHUMA, então talvez aí nós discordemos, Mas acho que você concorde comigo.

      E quanto aos argumentos “bons”, eu os trato diretamente com os autores originais. Veja a série que estou fazendo sobre o debate do Craig com Ehrman sobre a historicidade da ressurreição de Jesus (https://blogdomensalao.wordpress.com/2012/09/10/craig-x-ehrman-parte-4-a-primeira-refutacao-de-craig/)

      Curtir

  6. E naturalmente não poderia deixar de expressar minha vergonha por ver que um ser humano se deu ao trabalho de PESQUISAR sobre a vida do Luciano.

    E o Eli Vieira ainda achou bonito. Então, deve achar lindos aqueles tópicos em que ele e o Luciano faziam o maior bafafá e eu e o resto ficava comendo pipoca e assistindo o show que vocês davam em uma comunidade de debates.

    Curtir

    1. Você mesmo falou que não dá mais moral para ele porque conhece a história dele. Nada mais justo que eu apresente essa mesma história a todos para que todos cheguem à mesma conclusão, não? A história de uma pessoa diz muito sobre seu caráter, e o caráter de uma pessoa fala muito alto quando vamos decidir com quem vamos discutir.

      Já que falou em eleições, ignorar o Luciano por causa de seu passado troll é como impugnar a candidatura de um político por causa da Lei da Ficha Limpa. Justo, não?

      E só uma pergunta. Você é o VNR que postou aqui esses tempos pra trás? Aquele que eu tinha achado que era fake do Luciano (se confundi, me perdoe, mas o hábito dele acabou me deixando – justificadamente – um pouco “paranóico” rsrs afinal, não disponho de um método muito confiável para fazer tal distinção)

      Curtir

  7. Interessante é que há algumas semanas eu venho deixando-o bastante encabulado com meus comentários nos posts dele, já que nunca são publicados, mas ele faz questão de respondê-los, apenas selecionando e distorcendo alguns trechos… E hoje ele resolveu escrever um post inteiro só pra mim, como havia prometido… hahaha…

    É apenas balela, mas o interessante é que eu me apresento lá como “Camarada Stalin”, e para o fake que ele usou pra destruir essa Comunidade do orkut, ele colocou no lugar uma foto do… Camarada Stalin.

    Realmente, esse senhor não sabe nem ao menos disfarçar seus fakes… hahahaha…

    Curtir

  8. Notícia fresquinha: Ayãzinho tropicou (e caiu) na falácia da prosperidade científica americana.
    Notícia original:
    http://blogdotarso.com/2013/03/28/finlandia-a-melhor-educacao-do-mundo-e-100-estatal-gratuita-e-universal/
    Cremogemação Olavística de Ayãzinho:
    http://lucianoayan.com/2013/09/17/blogueiro-de-extrema-esquerda-glorifica-o-ensino-finlandes-mas-a-verdade-e-mais-dura-e-cruel/
    Michio kaku, o Troll Supremo que sapateia na cara de Ayãzinho:

    Acho que vale a pena uma tirada de sarro.

    Curtir

  9. Hora do “mea culpa”… Muito a contragosto, hoje eu RE-confirmo que sim, eu estava muito enganado a respeito do Sr. Luciano Ayan. Conforme eu disse em um e-mail ao dono deste blog no final do ano passado, foi com grande pesar que constatei, em maio de 2013, que sim, infelizmente, o Luciano é um PSEUDO-cético e que mereceu ser rotulado de “troll do Orkut”. A quem interessar possa, meus últimos comentários no blog dele estão todos na página

    http://lucianoayan.com/2014/01/04/do-boicote-ao-pt-dos-fundos

    Meu último comentário recebeu o número 25091, e já fiz o print screen do mesmo,
    para o caso do Luciano considerá-lo “impróprio para publicação”.

    Curtir

    1. Foi mal não ter respondido seu email… quase não tenho tido tempo. Mas de qualquer forma, obrigado por me mostrar essa verdadeira pérola do lulu:

      “Desculpa destruir tua ilusão, mas você não pode contar para sua avó qual é sua sexualidade por que ela manifesta um desejo evolutivo de ter descendentes, e sabe que sua opção destruiu esse desejo dela. Sinto muito, mas essa é a verdade. Em termos de dinâmica social, ela escolheu o cristianismo por que ele se adapta à essa perspectiva que veio biologicamente nela.”

      Ele conseguiu ser reprovado pelos dois lados com esta paspalhice dele… vc reprova por ser uma visão materialista e eu reprovo por ser uma visão científica completamente equivocada. rsrs Muito “esperto” (no pior sentido da palavra) da parte dele tentar inverter a relação de causalidade entre religião e aversão à homossexualidade de uma forma tão simplista e grosseira (reconheço que não é uma via de mão única, ou seja, não é verdade que cristianismo leva à aversão, mas também soa mais absurdo ainda dizer que a aversão leva ao cristianismo, como se as pessoas simplesmente estivessem em casa e pensassem “puts, as pessoas nasceram para gerar descendentes e os gays não respeitam isso… vou ser cristão porque cristãos repudiam os gays justamente por causa disso!!”) Até porque, como bem sabemos, quase todo brasileiro foi educado numa cultura cristã e a maioria nunca parou para pensar se quer mesmo ser cristã ou não. Digo isso porque ele parece partir do (ridículo) pressuposto de que as crianças são educadas para só escolher sua religião a partir de certo ponto da vida depois de ter conhecido todas as opções, e que o desejo de gerar descendentes faz escolherem o cristianismo. Não sei como ele explica então o fato de não terem mais muçulmanos no Brasil já que eles também condenam a homossexualidade.

      Mas agora, mais absurdo ainda é dizer que o desejo de gerar descendentes é uma força propulsora para aversão aos homossexuais! (Como se homossexuais fossem estéreis, by the way. Tenho amigos homossexuais (tanto gays quanto lésbicas) que têm filhos biológicos..) Simplesmente não há base psicológica/evolutiva para isso. É simplesmente hipótese pseudo-científica inventada pelo digníssimo troll (e se você já condena a ciência por não se embasar de maneira adequada aos fatos, irá condenar duplamente a pseudo-ciência por sequer tentar fazer isso!!)

      No mais, agora entendi seu email no qual diz que ele perdeu o rumo. Ele se lançou a uma proposta de “domesticação” de ateus… se não podemos convencer os ateus de que Deus existe, vamos convencê-los de que a moral/cultura cristã está correta ou pelo menos de que não pode ser atacada, seja por ser imoral (segundo ele direita é moral e esquerda é imoral, e o ataque às religiões, por ser esquerdista, é imoral, visão esta que é facilmente engolida por conservadores cristãos frustrados) seja por haver revide (a direita não pode se calar diante as maldades imorais da esquerda e revidar à altura, visão esta que gera receio no pessoal em geral, apesar de haverem muitas correntes evangélicas que aprovam/incentivam este comportamento – a corrente à qual ele pertence, muito provavelmente)

      Daí ele abre espaço para essas aberrações… tipo, “sou evolucionista, mas o evolucionismo apoia as ideias da direita!” como se uma lei natural tivesse ideologia,… pfff ou como “não tenho nada contra os gays, desde que eles não achem ruins de serem tratados como seres de segunda classe na sociedade e que apoiem a direita conservadora que deseja isso”, sim já que gay que enxerga na cultura de aversão à homossexualidade presente na sociedade como um obstáculo à sua liberdade é taxado como esquerdista, logo imoral, logo lixo humano duas vezes. Até a defesa evolucionista ao aborto dele soa tão absurda que às vezes acho que ele está trollando.

      Mas enfim, ele se perdeu com a questão do revide e com a questão de dar ao evolucionismo uma embalagem de ideologia política de direita. Os católicos não costumam engolir isso porque soa muito evangélico. E a maioria dos evangélicos está mais preocupada com desencapetamentos, em milagres para sair da pobreza e na altura da saia da filha da vizinha do que em ficar discutindo política de um ponto de vista evolucionista. Não se preocupe, ele não vai longe.

      Curtir

  10. Suriani,

    assim como outros antes de mim já disseram (por exemplo, o “jornalista sem jornal” aureliosjc do YouTube, famoso troll PTistóide no Fórum Realidade), o Luciano não é, nunca foi e nunca vai ser um cristão: ele sempre foi um “infiel”, em termos básicos e genéricos. Vou tentar explicar: um belo dia, ele deve ter percebido que lutar sozinho contra os ateus que ele detesta era um processo ineficiente, de modo que ele bolou um jeito de criar uma *massa de manobra* para ajudá-lo em sua cruzada contra os, digamos assim, ateus militantes (os quais também são meus adversários, pelo menos no ambiente do trollesco Yahoo! Respostas, quero dizer). E para esconder da massa-de-manobra que ela estava sendo usada como arma na luta do Luciano contra seus desafetos pessoais, ele simulou sua conversão ao cristianismo católico. Eu já desconfiava do catolicismo dele desde os tempos em que ele mantinha uma página no (falecido) Formspring, por ele mostrar uma certa ignorância e/ou tolerância para com a Maçonaria, mas enfim, naquela época eu quis considerar essa falha como uma “imperfeição menor” no caráter do Luciano. E conforme eu te contei no segundo e-mail de dezembro passado, ele deve ter sentido que não conseguiria manter o disfarce de «católico meia-boca» por muito tempo, de modo que teve de confeccionar e vestir o uniforme de «ateu conservador». Apesar disto, os admiradores religiosos do Luciano não demoraram pra perceber a realidade, e silenciosamente saíram de cena (excetuando-se o Jairo Entrecosto, é claro; a maioria deles – Igorgitirana, Acauã, Mats, etc, – preferiu sumir sem deixar aviso). E como atualmente eu não acredito que os habitués religiosos antigos do blog dele foram substituídos por uma quantidade igual ou maior de novos seguidores religiosos, concluo que ele criou ainda mais “sock-puppets” para elogiar a si próprio. Enquanto não me provarem o contrário, afirmo que o leitor “Cidadão” é o principal dos novos fakes do Ayan.
    P.S.: a título de informação, o que me incentivou a dar as “cutucadas finais” no Luciano foi o post do leitor Themístocles

    http://lucianoayan.com/2014/01/08/e-agora-algo-um-pouco-diferente-carta-aberta-aos-neo-ateus/#comment-24936

    o qual me convenceu de que a “potencialidade sinistra” do neo-lucianismo não era e não é uma invencionice doentia da minha cabeça cinqüentona.

    Curtir

    1. E eu é que sei?😛

      Há algumas semanas, e se a minha memória não anda demasiado confusa, descobri apenas que o Orélho é um dos moderadores do Religião É Veneno… Permaneci pouco tempo no fórum Realidade, menos de 6 mêses. Ingressei lá em janeiro de 2011 — ou será que foi em dezembro de 2010? Bom, não importa. O sub-admin Manuel Dória me baniu de lá, depois que eu tive a ousadia de chamá-lo de *psicopata*. Com êle se comportando do jeito que êle se comportava, êle esperava o quê de uma pessoa como eu? Atualmente, aquêle antro de trolleiros proíbe a indexação de suas páginas pelo Google… e também não deixa qualquer um se (re-)inscrever no fórum. Recentemente, tentei me re-cadastrar lá, e descobri, no e-mail de resposta, que o [supôsto] administrador, o Vitão, tem acesso às senhas dos membros — o que é de uma desonestidade sem-tamanho. O que aliás me faz desconfiar de que o administrador *efetivo* daquêle site não é o Vito, é o Manuel Dória mesmo.

      Curtir

  11. Continuando (e também concluindo – assim espero) o “mea culpa”:

    Primeiramente, duas correções. Minha primeira “saideira” no blog do Lucianique aconteceu no começo de abril de 2013, e não em maio:

    http://lucianoayan.com/2013/04/04/parabens-pelo-fair-play-humanistas-e-esquerdistas-papa-francisco-e-acusado-de-odiar-as-mulheres-por-uma-falsa-noticia-publicada-no-yahoo/#comment-15463

    (printscreen: http://forum.videohelp.com/attachments/22777-1389794440/octavioh.png )

    O post linkado acima aponta que o disparate psico-evolucioneiro do Ayan não é coisa recente, ele já tinha proferido a mesma bobagem no artigo do dia 31 de março de 2013:

    http://lucianoayan.com/2013/03/31/joelma-do-calypso-vitima-da-nova-lei-da-blasfemia-do-ocidente-se-no-isla-nao-podemos-criticar-maome-aqui-nao-se-pode-criticar-o-comportamento-gay

    «
    Joelma disse o óbvio, que é o que toda mãe sente: elas sofrem quando seus filhos são gays. A justificativa religiosa é só uma racionalização para um instinto darwinista de transmissão dos próprios genes para frente.
    »

    (printscreen: http://forum.videohelp.com/attachments/22779-1389794412/joelma.png )

    E o meu retorno temporário, ocorreu não em outubro, e sim no começo de agosto do ano passado. Porém como eu (provavelmente) deixei a marca do tal retorno em um artigo mais antigo, não consegui encontrá-lo (e nem pretendo, aliás é lamentável que o WordPress não faça busca nos comentários dos leitores). Mas enfim, alguns dias mais tarde, voltei a alfinetar O Grande Scéptico, e inclusive citei o épico e antológico descuido do boiólogo Lewontin através do comentário

    http://lucianoayan.com/2013/09/02/no-que-eu-acredito/#comment-21287

    (printscreen: http://forum.videohelp.com/attachments/22775-1389794412/lewontinq.png )

    com a vã esperança de que o carinha finalmente iria se mancar. Lêdo engano, pois muito antes, o Grande Scéptico (¿ou seria O Grande Troll?) já tinha provado que ele NÃO SABIA que o Bobagento é uma fábrica de notícias falsas:

    «
    P.S.: O post anterior, sobre Helena Gimenez foi comprovado como baseado em um hoax, e, portanto, excluído. (Grato ao Alexander Canust e ao JMK pela dica)
    »

    (printscreens:

    http://forum.videohelp.com/attachments/22778-1389794375/trolled.png e

    http://forum.videohelp.com/attachments/22780-1389796200/mocreiafeminista.png )

    (fonte: http://bobagento.com/movimento-feminista-pede-para-mulheres-nao-mais-transarem-de-quatro )

    Em segundo lugar, um esclarecimento. O fator que sem-dúvida colaborou demais para que eu me mantivesse no estado de “míssel teleguiado do Luciano Ayan”, foi o fato de eu detestar o Orkut (junto com o Facebook, Linkedin e outras redes anti-sociais). Durante seis meses do ano de 2007, eu me esforcei para conhecer e usar o dito-cujo, mas não agüentei e disse adeus. Um zilhão de “comunidades”, quase todas perfeitamente inúteis, e nas poucas que não eram inúteis, o nível intelectual dos membros deixava a desejar (IMNSHO), de modo que o ambiente não me atraía mesmo. Descobri o site “Neo-Ateísmo Um Delírio” através do Google, e até onde eu sei, eu fui o primeiro a divulgá-lo “em grande escala” dentro do lixódromo chamado Yahoo! Respostas. Se o meu desconfiômetro estivesse em bom estado, certamente eu teria arranjado paciência para bizoiar o histórico do Lucique dentro do Orkut, e na melhor das hipóteses, eu continuaria divulgando o blog dele, porém sem postar comentários no mesmo. Só que infelizmente, o meu desconfiômetro estava descalibrado, e com a ajuda da minha orkutphobia, precisei de quase oito meses para perceber (e admitir) que as tuas críticas ao Luciano Ayan eram muito mais fundamentadas do que eu queria acreditar.

    Curtir

  12. Incrível, mas é verdade: o sucesso subiu à cabeça do neo-iluminado, e agora, até os faraós do Egito eram “de esquerda”😀

    «
    Oponente: Essa definição, além de superficial, não é sustentada historicamente . Mediante essa alegação seriamos forçados a definir os seguintes governos como esquerdistas: (a) ditadura militar brasileira, pois foi um período onde o governo foi atuante nas decisões econômicas do pais, (b) todas as monarquias absolutistas da Europa. “-O estado sou eu.” Luís XIV., (c) os governos dos faraós egípcios.

    Luciano Henrique: Não é que “seríamos” forçados a definir esses governos como de esquerda. Ele FORAM governos de esquerda (mesmo que mais moderados que os regimes comunistas da fase dos genocídios), e negar isso é negar a realidade. A coisa começou bem fácil.
    »

    fonte: http://lucianoayan.com/2014/01/19/a-diarreia-mental-da-extrema-esquerda-quando-fantasia-que-nazismo-e-de-direita-parte-1

    Muito antes dessa pérola neo-iluminista, a Nova Direita brasileira já tinha me avisado que, para as olavettes, o feudalismo europeu era de esquerda. E hoje eu pude confirmar que os “velhos reaças” estavam com a razão.

    Curtir

    1. Mas isso é fichinha perto do seguinte comentário:

      Outro problema: antes do iluminismo, não havia o conceito de democracia. Portanto, qualquer um que tente associar a direita à manutenção da monarquia naquela época, está sendo intelectualmente desonesto.

      Ou seja, um conceito criado pelos gregos na era dos aC não existia antes do Iluminismo!! Caraaaaaaaaaaaaaai!

      Curtir

  13. Esses dias acidentalmente li um texto dele, tava hospedado no merda sem mosca, e me deparo com isso:” Em outra notícia, publicada pelo próprio Opera Mundi, nota-se que os agressores são de ideologia nazista ou fascista, e, portanto são de esquerda, tanto quanto são os adeptos do Foro de São Paulo”

    Peraí, então quer dizer que os ~esquerdistas~ agressores agrediram os esquerdistas do FSP por eles serem esquerdistas?!? TÁ SERTÍSSIMO!

    Me perguntei se isso é desonestidade ou burrice, mas cheguei a conclusão de que é problema mental mesmo, seria cômico se não fosse trágico, pela quantidade de seguidores que ele tem.

    .

    Curtir

    1. Posso estar enganado, mas eu desconfio que o Luciano atualmente possui poucos seguidores DE-FATO, pois a grande maioria dos comentaristas no blog dele deve se constituir de sock-puppets do próprio Luciano😀 Exemplos de algibeira: os leitores “Cidadão” e “Pecador”. E se ele tem tempo de sobra para caçar notícias na Internet 24×7 e FINGIR que está escrevendo um livro (a ser lançado no dia 31 de fevereiro de um ano incerto), então criar centenas de perfis falsos no Facebook para inflar a própria popularidade é uma tarefa trivial.

      Curtir

    1. HAHAHHAHAHA, pensei nisso, imaginei ele autografando os livros com um saco na cabeça. Mas não duvido que esse livro seja lançado, mas sairia apenas em e-book.

      Curtir

  14. Marcus, me parece que nem em formato eletrônico o livro dele vai sair… o cara vem falando que o “opus magnum” dele está “quase-pronto” DESDE 2012, afff….

    http://lucianoayan.com/2012/11/04/ensaios-que-foram-ensaios-que-retornarao/

    NOTA, o benedetto livro já foi prometido para novembro de 2013, para fevereiro de 2014,…
    ¿até quando, Lulux?

    Para confirmar (e/ou aumentar) o meu pessimismo em relação a este assunto: o Luciano já prometeu e não entregou diversos artigos sobre diversos autores e temas (Hegel, Horkheimer & Adorno, para citar apenas dois casos que não me fugiram da memória). Logo, as promessas dele são dúvidas na certa. E pra piorar, eis que *surge do nada* um “livro inédito”, datado de 2002! Fonte: http://lucianoayan.com/2014/05/16/e-se-os-jogos-politicos-entrarem-em-conflito-com-seus-padroes-morais/

    {{
    Sei que pode ser forte o que vou dizer agora, mas é um assunto que já abordei em um livro guardado na gaveta (e que será retrabalhado no futuro) – um livro prometido sobre ceticismo político, que eu escrevi em 2002 e a ser revisado talvez ainda este ano, antes que eu comece a pensar sobre sua publicação.
    }}

    Bottom line is: vindo do Luciano Ayan, mentira pouca é bobagem.

    P.S.: Por outro lado, TALVEZ ele tenha cometido um erro de digitação e escrito “2002” no lugar de «2012»…
    Mas mesmo assim, ……

    Curtir

  15. Puuuuuutz, verdade, incrível como esse ser insiste em ficar nessas fantasias enquanto se masturba intelectualmente, ele deve ser chegado numa auto-felação.

    Creio que 2002 não tenha sido um erro, assim os sockpuppets não diriam: “Pô, Luluxim, tu escreveu um livro em 2012 e nem avisou pra gente?”, ou talvez pra parecer que ele já tem um bom tempo de conhecimento na área. A vida real desse sujeito (se ele de fato não for uma IA com sugeriram aí) deve ser bem triste.

    Curtir

  16. Por que não estou surpreso? Ou melhor ainda, por que eu quis perder tempo confirmando aquilo que é mais-do-que-óbvio? *rolleyes* Abaixo, private messages no meu Facebook (print screen disponível mais tarde):

    {{
    From: Nigo Zeroichi

    Bom-dia. Apenas por curiosidade, gostaria de saber se alguém chamado Luciano Henrique Ayan já foi membro ou funcionário desse grupo. A página dele no Facebook é a seguinte: blah-blah-blah — Obrigado pela atenção.

    From: Nova Aliança Renovadora Nacional

    Caro Nigo. Em resposta a sua pergunta, a equipe de Formação da NOVA ARENA desconhece qualquer ligação de tal pessoa com nosso Partido.

    From: Nigo Zeroichi

    Muito obrigado pela resposta (objetiva e rápida).

    From: Nova Aliança Renovadora Nacional

    Na página mencionada , sem fotos de identificação inclusive, ele se apresenta membro da aliança no perfil como pudemos verificar, mas nôs é desconhecido….Isso ocorre com constância em várias páginas, mas para fazer parte do partido, é necessário um cadastro e aprovação da nacional…Abraços !

    }}

    Quanto a mim mesmo — nem todas as informações constantes do meu perfil no Facebook são falsas. O meu avatar é a minha cara mesmo, apenas um pouco PaintShoppada para me deixar um pouco menos feio (se é que isso é possível😛 ). As escolas que eu mencionei ainda existem, portanto quem não tiver coisa melhor pra fazer e se der ao trabalho de investigar, pode descobrir quem eu realmente fui😉 Meu nome e meu sobrenome não são horrorosos, porém eu nunca gostei deles, e na medida em que a Internet nos proporciona um relativo “anonimato”, uso e abuso dos pseudônimos, why not? Quem conhece animés e tem bom gosto, sabe muito bem quem é o personagem 2501 do filme “Ghost In The Shell”🙂

    Curtir

    1. Conforme o prometido, aqui vai o print screen:

      P.S.: Mensalão, sei que você é extremamente ocupado e que provavelmente outras pessoas pessoas já devem ter te avisado disto, mas… o teu blog está cheio de links quebrados (HTTP error 4O4).

      Curtir

    2. BTW, de vez em quando ainda passo lá para ver a quantas andam… e estou adorando o que vejo. Ele finalmente se encolheu dentro de sua mediocridade. De dois ou três posts por dia há um ano, hoje ele faz um a cada dois dias. A maioria dos posts agora é do tipo “manual do conservador frustrado: saiba responder a esquerda liberando o lado assertivo que mora dentro de você!” Ele parou com as bobagens mirabolantes e está ficando repetitivo. Mas não acho que ele tenha percebido que é menos do que acha, desconfio que a vida real bateu na porta dele e ele teve que arrumar algum ofício para prover seu sustento rs.

      Curtir

  17. A quem interessar possa… Demorou, mas aconteceu. Luxianim apagou a versão original do blog dêle (“Neo-Ateísmo, Um Delírio” – neoateismodelirio ponkto wordpress ponkto com). Possivelmente porque o blog antigo servia para que os religiosos continuassem USANDO o trabalho anterior do Luciano Ayan, e isto para o neo-iluminista é simplesmente inaceitável — afinal de contas, o “Super-Ateu” existe para usar os outros, não para ser usado pelos não-iluminados😀

    But fear not – The Wayback Machine conserva cópias do material “renegado”😉

    Curtir

    1. Possibilidade igualmente provável (não tenho certeza desta última, pois não sou usuário do WorDePressa) – a graninha dele ficou insuficiente para manter dois blogs ao mesmo tempo😛

      Curtir

  18. Mensalão, parece que ele acompanha sim esta página com uma certa regularidade… Pra que você foi notar a “queda de produtividade” no blog dele? Pois é, o sujeito se irritou, e voltou a escrevinhar N posts por dia:

    índice de posts para Julho de 2014 = 9 páginas
    índice de posts para Agosto de 2014 = 20 páginas
    índice de posts para Setembro de 2014 = 22 páginas

    sendo que cada página desses índices tem links para 7 artigos, em média.

    Azar o nosso, véio, passar o dia inteiro caçando notícias na Internet e comentando sobre as mesmas,
    isso é pra quem tem muito dinheiro no bolso
    (e pouca criatividade na cabeça😛 ).

    Curtir

  19. E só para confirmar o que você e o Gilmar descobriram muito antes de mim: o Lulux não perdeu a mania de criar comentadores de-mentira, putz, ele não sente vergonha de inflar artificialmente a audiência do próprio blog, AFF Maria…

    Curtir

  20. Esse cara tem problemas mentais SÉRIOS. Em pleno ano novo ele estava lá no facebook do Francisco Razzo postando INCANSAVELMENTE sobre o nazismo não ser de direita. KKKKKKKKKKKKKKKKK E ele debateu com o Paulo Junio (que provou que ele estava se contradizendo) mas o Luciano só diz: “espantalho”, “isso é propaganda”, coisas que quem já o conhecia sabe que só faz isso. É uma anta.

    Curtir

    1. Se o livro dele vai fazer tanto sucesso, ele precisa de crowdfunding pra que? Se eu tivesse tanta certeza que um livro que escrevi faria sucesso, pegaria uma grana emprestada pra pagar com o que ganhasse depois. Ou usaria minha própria poupança pessoal. rsrs Parabéns para quem der o dinheiro kkkk

      Curtir

    2. Minha nossa, como tem otário nesse mundo, os caras tem coragem (ou burrice) de financiar um livro de um sujeito que já promete escrever (lembram daquele de 2002?), enfim, já tô rindo aqui com o que vai acontecer se ele conseguir os 14000 reais.

      Curtir

  21. De acôrdo com o site kickante, a meta de 14000 “reáu” já foi ultrapassada (15160 pilas arrecadadadas até agora). Agora vamos ver se ao menos uma vez na vida o Lulu cumpre suas promessas literárias — «entrega estimada em 30/06/2015», ¿será mesmo? E se o livro for mesmo lançado, e algum “entusiasta” resolver compartilhar no 4shared ou no MinhaTeca, ah, não tenham dúvidas — também vou fazer a minha contribuição à liberdade de expressão, através da rêde BitTorrent😛

    Curtir

    1. Estão todos em estado de contemplação. Impossibilitados de se mover, não conseguem alcançar um computador para espalhar a boa nova por todo o planeta. Temo, inclusive, que se não saírem deste estado logo, a obra de lulu não seja divulgada e ele acabe perdendo os premios Nobel de literatura e da paz.

      Curtir

    2. Olá.

      Faz algum tempo que venho acompanhando a trajetória desse sujeito. E gostaria de deixar minha impressão.

      Ao verificar a campanha de Ayan no kickante, deparei-me com uma figura: Rodrigo Simonsen. Este seria o ‘editor’ do livro. Fui dar uma olhada no perfil do cara no Facebook e encontrei algumas coincidências estranhas: a dialética de Simonsen, assim como a grafia, é muito parecida, talvez até mesmo idêntica, ao de Luciano Ayan.

      Não se espantem se finalmente o verdadeiro Luciano Ayan ter mostrado sua verdadeira face na pessoa de Rodrigo Simonsen.

      Curtir

    3. “Nosso livro cresceu em dimensões, ganhou novos capítulos, e por isso o atraso de algumas semanas. Ele já está em processo de revisão final, e em seguida vai para a diagramação. O projeto gráfico está por conta de um dos mais premiados estúdios de design do país, a Casa Rex”

      E isso foi há duas semanas.

      Curtir

    4. A desculpa do editor (ou do Ayan, ou de ambos) sem dúvida possui um toque “dílmico”: não temos um prazo para entregar o livro, e quando êsse prazo tiver se esgotado, vamos dobrar o número de capítulos do livro.

      Curtir

  22. Estava escrevendo um texto mas infelizmente a porra do site bugou e eu acabei clicando em um link d destruindo meu relato, vou só fazer um resumo de alguns pontos:

    – Luciano Ayan já defendia o catolicismo desde 2006/7

    – Luciano não tinha 1/10 dos fakes que atribuem a ele

    – Luciano definiu bem o que era High Profile e ele definia isso como debatedores com experiência em debate e conhecimento na área em que se debatia.

    – Os neo-ateus não eram santinhos nessa época não, eles furtavam comunidades, selecionavam debatedores, poluíam fóruns e tornavam os debates insuportáveis com spamming. Se tinham teístas que faziam isso? Provavelmente, mas o seu texto é bem ao estilo “o bem contra o mal”, onde o Luciano é o criador absoluto do mal, o que está bem longe da verdade.

    – Luciano mudou de paradigma várias vezes, é verdade, porém não escondeu ou foi desonesto em relação a isso, ponto pra ele, já que ele admite que segue as conclusões de suas investigações.

    – Luciano sempre falou que era auditor, eu me lembro claramente disso desde 2007, se ele se dizia empresário eu não me lembro, porém você confunde empresário com mega empresário, um vendedor de peixes é um empresário se tiver uma loja com funcionários. E falir faz parte dos negócios.

    – Sobre o Snowball, suas evidências são mais um exercício de adivinhação e insinuações do que caso real. O estilo do Luciano e do Snowball, como você mesmo demonstrou, são muito diferentes e, a menos que ele tenha dupla personalidade, eu acho “impossível” emular um estilo diferente, sem dar brechas, por muito tempo.

    – É verdade que Luciano provocava muito os neo-ateus, porém ele também era muito provocado, e, no final, as pessoas já tinham “preconceito” tal contra ele que já chegavam na ignorância com ele, o que só agravava a tensão.

    – O Blog original do Luciano surgiu da comunidade de mesmo nome no Orkut. Neo-ateísmo, um delírio, da qual eu era moderador e toda a trajetória do Luciano era no sentido de “esmagar” as alegações neo-ateítas, e, quando ele mudou de cosmovisão, adotando o ateísmo novamente, fica clara a diferença de suas análises. Pra mim que participou do início do Blog dele, e hoje, anos depois reencontrei ele, foi até um choque. Ele nem foca mais em neo-ateísmo, é claro que vão dizer que a luta contra o esquerdismo é uma nova fase da “birra” dele com os neo-ateus, mas a verdade é que o foco mudou, e muito, de modo que até contra a suposta extrema-direita ele criou conflito, ou seja, contra os intervencionistas

    Acho que você deveria parar de paranóia e mudar a fita, se você afirma que a nova direita foca em conflitos já enterrados, você remói e bate em um Luciano morto, tudo isso para denegrir sua imagem. É como se você admitisse que não consegue enfrentá-lo no campo da guerra política e tenha que partir para o assassinato de Reputações.

    Uma coisa é certa: mesmo que o Luciano tenha sido tudo isso que você falou, você tem que analisar suas novas proposições, não bater nas antigas e fingir que venceu destruindo sua imagem.

    Curtir

    1. ” Luciano não tinha 1/10 dos fakes que atribuem a ele” –> Jura?

      “Luciano definiu bem o que era High Profile e ele definia isso como debatedores com experiência em debate e conhecimento na área em que se debatia.” –> A definição de High Profile eu sei bem qual é. O problema é que a criança age meramente com assertividade e vem se declarando high profile, o que soa patético.

      “Os neo-ateus não eram santinhos nessa época não, eles furtavam comunidades, selecionavam debatedores, poluíam fóruns e tornavam os debates insuportáveis com spamming. Se tinham teístas que faziam isso? Provavelmente, mas o seu texto é bem ao estilo “o bem contra o mal”, onde o Luciano é o criador absoluto do mal, o que está bem longe da verdade.” –> Há alguns anos, comunidades no orkut eram verdadeiros antros de trolls, de todos os lados. 99,9% nunca foram grandes bostas e não viraram nada. O Lulu se destacava entre os trolls e “sobreviveu” ao fim do orkut. De qualquer maneira, um passado troll de orkut merece estar na biografia de qualquer um. Sobre eu “insinuar” que ele era o malvadão contra o bem, imaginação sua.

      “Luciano mudou de paradigma várias vezes, é verdade, porém não escondeu ou foi desonesto em relação a isso, ponto pra ele, já que ele admite que segue as conclusões de suas investigações.” –> 1) Mudança de paradigma é manter a posição, mas alterar o sistema de pensamento. O Luciano mudava de opinião constantemente, não eram meras mudanças de paradigma. 2) O meu questionamento é justamente se as mudanças bruscas de opinião era reais ou se decorriam de objetivos pouco nobres. Preste atenção.

      “Luciano sempre falou que era auditor, eu me lembro claramente disso desde 2007, se ele se dizia empresário eu não me lembro, porém você confunde empresário com mega empresário, um vendedor de peixes é um empresário se tiver uma loja com funcionários. E falir faz parte dos negócios.” –> auditor, empresário e médico. E quando a Louis Lane cai da torre eiffel, ele arranca o terno, atravessa o atlêntico em 5 segundos e chega a tempo de salvá-la. E que evidências ele dá para ser auditor? Nenhuma, fora alguns “causos” didáticos e pouco verossímeis que se encontra em qualquer livretinho de auto-ajuda. Me poupe….

      “Sobre o Snowball, suas evidências são mais um exercício de adivinhação e insinuações do que caso real. O estilo do Luciano e do Snowball, como você mesmo demonstrou, são muito diferentes e, a menos que ele tenha dupla personalidade, eu acho “impossível” emular um estilo diferente, sem dar brechas, por muito tempo.” –> OI? Uma pessoa só consegue mudar o estilo de escrever e se expressar se tiver dupla-personalidade?

      “Acho que você deveria parar de paranóia e mudar a fita, se você afirma que a nova direita foca em conflitos já enterrados, você remói e bate em um Luciano morto, tudo isso para denegrir sua imagem. É como se você admitisse que não consegue enfrentá-lo no campo da guerra política e tenha que partir para o assassinato de Reputações.” –> Este texto foi escrito há 3 anos! O que você quer dizer com mudar a fita, for gods sake? E agora fazer uma biografia desta com fatos verídicos é assassinato de reputação? Por fim, eu tenho como política pessoal não alimentar trolls. Escrevi este texto para mostrar às pessoas o erro de se tentar debater com trolls como o Luciano. Além disto, não participo de guerras políticas, pois sou civilizado. Participo de debates políticos. Trolls de direita e blogueiros estatizados de esquerda não pertencem ao espectro da racionalidade humana e merecem desprezo. Agora, apenas comento seus erros, mas não discuto.

      Curtir

    2. Bom saber quem você é, nada mais que um acusador e destruidor de reputações. Você diz que poucos trolls sobreviveram ao Orkut, o que pode ser verdade, mas neo-ateus escrotos como você parece que sobreviveram ao montes, gente que não debate, e diz que é civilizado, mas no final, é apenas um refutador de pessoas.

      Como eu disse, e volto a dizer: Nada desse texto prova que o Luciano está errado em seus postulados, aliás, demonstra uma capacidade ínfima para isso, o que acaba te obrigando a recorrer a expedientes como esse para desmoralizá-lo.

      Parabéns, você é muito bom no que faz, tenho que admitir.

      Curtir

    3. Só rindo mesmo.

      Como eu poderia refutar os postulados dele, se o que fiz aqui foi demonstrar que ele é um troll, ou seja, uma pessoa sem postulados?

      Porque eu deveria me incomodar em refutar civilizadamente uma pessoa tão opaca, baderneira, não-civilizada e sem conteúdo?

      Ah, faça-me o favor!

      Curtir

    4. Kkkkkkkkkk exatamente isso que eu queria ouvir, você só acaba de confessar qual sua intenção com essa matéria de assassinato de reputação, que é justamente o que os desonestos intelectuais como você fazem, não conseguem destruir alguém no campo das idéias, aí parte para atingir a imagem, na intenção de calar moralmente um opositor. Mas parece que sua tentativa não deu muito certo, já que o livro do Luciano foi eficientemente financiado via Kickstart, e o blog dele não para de crescer, enquanto o seu…. Bem, o seu só é conhecido pelas pessoas que procuram o nome do Ayan e vêem esse artigo desesperado de um derrotado.

      Deve ser extremamente angustiante saber que seu nome só é conhecido por causa de seu oponente.

      Passar bem Mensalão, nome de vergonha, de um fato constrangedor para a esquerda nacional. Até nunca mais.

      E para o falso amigo do JMK, só lamento o nível baixo que alguém pode chegar para agradar um Mensaleiro

      Curtir

  23. Putizgrila, eu não sabia que demonstrar a inconsistência e a desonestidade do Luciano Ayan era sinônimo de “baixar o nível para agradar a um mensaleiro”.
    A propósito, e o livrinho dêle, vai ser publicado quando mesmo?
    Antes que a maioria do mundo se esqueça da coisa chamada Charles Hebdo, eu presumo.

    Curtir

  24. A seguinte nota no Facebook é sobre o Olavo de Carvalho, mas se aplica também ao Luciano Ayan, principalmente porque o próprio Ayan reconhece que recebeu uma grande influência do Olavão. Obviamente, nem o Luciano e nem os fãs *incondicionais* do Luciano estão prontos para admitir que essa influência inclui o que há de pior nos comportamentos do sionista desavergonhado:

    https://www.facebook.com/notes/júnior-eskelsen/olavo-de-carvalho/787624064682362

    Curtir

  25. Saiu mais um capítulo emocionante das Picarescas Aventuras do Assertivo Templário Reaçopata Em Sua Frustrada Busca Por Reconhecimento, Fama e Glória:

    https://olavodecarvalhofb.wordpress.com/2015/10/18/anti-petismo-poder-e-ayan/

    Eu acho que é o último capítulo. Não sobrou mais ninguém relevante que ainda poderia esculachá-lo e, por tabela, promovê-lo. A propósito, acho que o Olavo é o maior responsável pela epidemia de seguidores do blog dele nos últimos dois anos por ter divulgado em sua timeline um post escrotíssimo sobre a perseguição contra Rachel Sheherazade após o comentário infeliz sobre o trombadinha amarrado nu a um poste no RJ. Outras duas vitrines que alavancaram a popularidade dele foram as resenhas da coletânea O Mínimo, do Olavo, e ao Esquerda Caviar, reproduzidas, com links para a fonte, respectivamente, nos blogs no site da Veja do Felipe Moura Brasil e do Rodrigo Constantino.

    E, só pra não deixar margem para dúvidas, só tomei conhecimento disso pelo blog do Olavo, ok? Ainda entro aqui de vez em quando pra ver se o blog ressuscita, olho os comentários mais recentes, quase todos neste post já lendário, e como pelo visto este post está entre os mais acessados, achei que valia a pena compartilhar; no mínimo porque o Olavo xingando é muito engraçado.

    Abraços e um bom final de domingo a todos.

    Curtir

    1. {{Temos também o liberalzinho do “ceticismo político”, leitor de Mateus Minuzzi (vulgo Luciano Ayan). Meu amigo Luciano Geronimo chama de liberalzinho de TI (tecnologia da informação). Esse tipo específico acha que o mundo é um sistema operacional e as pessoas são seres como programas de computador. Bitcoins são as armas dos guerreiros digitais da liberdade contra o petrodólar. Babam ovo de Tesla mesmo com o Elon Musk sendo um comedor de subsídios. Ayan saca seu manual de programação neurolinguística e mistura com o que ele chama de “infowar” e cria uns termos em inglês para “enquadrar” os inimigos. Alguns termos são tão engraçados que parecem nomes de banda de rock. Verbal Assault Patterns, controle e inversão de frames, direita “true”, ceticismo político, shamming, negacionismo político. Uma piada. O que vale é o pragmatismo.}}

      FONTE: http://www.midiasemmascara.org/artigos/cultura/16308-2016-01-22-22-57-35.html

      Curtir

    2. Eu já tinha visto lá naquele blog que compila as postagens do Olavo de Carvalho nas redes sociais. Nosso templário high-tech, egresso de uma família de renomados advogados, lembram?, postou o seguinte em sua timeline:

      “Tou achando que meu amigo Mateus Minuzzi pode ganhar um $$$ metendo um processo no Pedro Henrique Medeiros e no Mídia Sem Máscara. Os caras foram tão burros que resolveram usar a tática de difamação acusar um oponente de ter fakes e documentar isso. Quem quiser salvar printscreens recomendo.”

      Comentário do Olavo: “Qualquer advogado principiante explicaria ao Ayan que processar com o intuito declarado de “ganhar um $$$” (sic) é perder e ainda levar em cima um processo por litigância de má-fé. E burros, naturalmente, são os outros.”

      Fonte: https://olavodecarvalhofb.wordpress.com/2016/01/23/briguento-panelaco-e-realizado/

      O Olavo sempre faz algum trocadilho escatológico com o nome de quem insiste em aporrinhá-lo. Não sei como ainda não o apelidou de Luciânus.

      Curtir

    3. Gilmar, você anda acessando meu blog mais do que eu mesmo! Já devia fazer mais de seis meses que nem eu mesmo acessava aqui. Hoje só resolvi acessar porque queria esboçar dois posts que pretendo fazer no futuro (os esboços são como lembretes) e acabei vendo estes comentários… muito obrigado!!!

      Estou atualmente trabalhando como professor substituto de estatística na UFU, como professor de ensino técnico em Automação Industrial pelo PRONATEC e e professor de engenharia em universidade particular, e tentando concursos para professor efetivo. Não é difícil adivinhar porque abandonei meu blog… Ano passado fiquei em segundo lugar em dois concursos para federais; no primeiro havia apenas uma vaga, e no segundo haviam três vagas, mas fui traído por um edital sem sentido e escolhas ruins (se, no momento da inscrição, eu tivesse optado por uma vaga em Florianópolis, eu teria sido nomeado e já estaria me mudando para lá a uma altura dessas…) De toda forma, estou bastante forte em um concurso em Uberaba, a 100 km daqui de Uberlândia. Nesta sexta-feira farei a prova didática, que é a etapa final e, se eu passar, finalmente terei tempo para reativar aqui….

      Sim, porque abandonei, mas não esqueci. E ultimamente tenho pensado bastante em novos posts para colocar aqui, com novos assuntos inclusive. Estou pensando em dar uma reformulada em tudo, tomando medidas como:

      1) excluir os vários autores e assinar tudo como Suriani
      2) excluir posts de picuinha e de qualidade duvidável, ou removê-los para um único post estilo cemitério, porque não gosto muito da ideia de excluir definitivamente o que já escrevi
      3) tratar com insistência temas relacionados à estatística: sobre como fazê-la e sua importância dentro de nosso cotidiano e dentro da ciência, sobretudo dentro das ciências humanas (aliás, estatística é, na minha visão, a salvação de muitas áreas dentro “das humanas”)
      4) tratar de psicologia e pedagogia, temas que tenho estudado bastante quando sobra algum tempinho (nos últimos dias promovi uma verdadeira imersão em pedagogia para me preparar para a prova didática da semana que vem, inclusive estou anotando em uma caderneta todas as ideias que tenho)
      5) começar a fazer vídeos para complementar os textos e alavancar as views e meu alcance. A princípio, minha disposição é em fazer vídeos justamente sobre pedagogia, já que o material que estou reunindo chamaria muita atenção de professores jovens como eu e me daria mais visibilidade.

      Enfim, já prometi pro papai-do-céu que se eu passar neste concurso da semana que vem, eu paro de birrinha com ele… #SQN

      Abraços!

      Curtir

    4. Suriani, eu fico muito feliz por você, já tinha imaginado mesmo que você ou estava atolado até as orelhas no serviço ou nos estudos, ou talvez tivesse se casado e constituído família, sei lá, alguma coisa assim, ou tivesse sido contratado por alguma multinacional estrangeira e ido trabalhar no exterior. Mas fico feliz mesmo, de coração, de saber que as coisas estão indo bem pra você, seu blog está parado por boas razões. Te desejo sucesso, espero que essa sua fase de concurseiro termine logo. Lamento pela vaga perdida em Florianópolis, com certeza uma das melhores cidades do país para viver, Santa Catarina com certeza é o melhor estado da federação, cheio de pessoas de bem, já que foi o estado em que a Dilma teve menos votos na última eleição.

      Eu continuo frequentando três vezes por semana aquela boca de fumo disfarçada de faculdade de ciências humanas (juro que só fiquei sabendo pela matéria do EM: http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2015/03/27/interna_gerais,631781/trafico-ocupa-ufmg.shtml), e continuarei a fazê-lo até o primeiro semestre de 2019, quando termina o prazo para eu concluir a graduação. Depois eu não sei o que será, se eu não conseguir concluir o curso até lá talvez faça o ENEM de novo e dê um jeito de fazer só as matérias que estiverem faltando. Eu deveria estar adiantando a leitura do Cambridge Companion to Medieval Philosophy para a disciplina de História da Filosofia Medieval que finalmente criei coragem para cursar, mas em vez disso fiquei a tarde inteira escrevendo um email para o Núcleo de Correição Administrativa lá do local onde trabalho para resolver uma picuinha que arrumei com minha chefe no serviço e que já está se arrastando há mais de um mês. A mulher cismou que eu sou obrigado a trabalhar no período da manhã nos pontos facultativos, e eu bati o pé que não, mostrei pra ela os artigos da Constituição, do Estatuto do Servidor, do Manual de Frequência e do Código de Ética da Fundação mostrando que ela está errada e não pode alterar meu horário de trabalho sem meu consentimento, mas a analfabeta funcional não entende juridiquês (na verdade ela se fez de burra, no fundo ela não admite é ser contrariada) e fez uma consulta ao departamento jurídico, mas ela não explicou direito e a advogada que avaliou o caso entendeu tudo errado e deu razão à minha chefe, depois saiu de férias e só volta depois do Carnaval, e eu custei a descobrir que o parecer dela foi baseado num mal entendido, agora preciso eu mesmo recontar uma longa e entediante história desde o início, detalhando o máximo possível para evitar outros mal-entendidos por quem for reavaliar o caso. Tá foda, viu.

      O RM como era realmente acabou, foi divertido enquanto durou, mas no fim acabou sendo só isso, um passatempo, uma divertissement, uma distração para desviar o pensamento de realidades desagradáveis. Apesar disso eu ainda quero dar um fim digno àquilo, escrever um belo texto explicando porque se chama Rebeldia Metafísica e porque escolhi o Prometeu como arquétipo do rebelde, e porque passei da rebeldia à uma atitude mais reconciliatória. Mas do jeito que eu sou lento eu precisaria ficar uns quatro meses por conta pesquisando, lendo ensaios de crítica literária e elaborando o texto, e eu não tenho esse tempo durante o semestre, e quando chegam as férias, além da minha indisciplina habitual, aquela cretina ainda me inventa essa disputa por uma ninharia que me atrapalha a pensar e drena toda minha energia mental. Deixa eu ir lá acabar de escrever o email, foi bom ter notícias suas, um abraço, vou continuar de olho aqui.

      Curtir

    5. Eita! Isso porque seu curso é 5 estrelas no Guia do Estudante e o quarto colocado no ranking da Folha. Pensei que a situação não estivesse tão ruim e que você estivesse motivado em terminar o curso… Mas esquenta não, na UFU a situação é parecida, só que o campus inteiro virou um DCE. A polícia não entra, os seguranças são particulares, não portam armas, são insuficientes e ainda possuem outras atribuições (como abertura e fechamento de blocos). Como resultado, assaltos rolando soltos, tentativas de estupro, pelo menos um carro roubado por dia… http://g1.globo.com/minas-gerais/triangulo-mineiro/noticia/2015/09/jovem-sofre-tentativa-de-estupro-em-banheiro-feminino-de-campus-da-ufu.html http://www.correiodeuberlandia.com.br/cidade-e-regiao/roubo-na-ufu-retoma-discussoes-sobre-a-policia-nos-campi/

      Sobre a tentativa de estupro, o criminoso era um funcionário de uma empresa terceirizada que trabalhava lá dentro. Mas mesmo assim, a solução encontrada pelo DCE foi sujar o chão em vários pontos do campus de vermelho, fazer panelaços em frente aos blocos de engenharia, pregar cartazinhos chamando os alunos de machistas e continuar pressionando a reitoria a impedir a entrada da polícia dentro do campus, afinal polícia só serve pra perseguir negro e pobre e não podemos tolerar isso dentro do ambiente universitário. É mole?

      Espero que ache tempo pra levar seus projetos sem ser atrapalhado por sua chefe rsrs Aliás, se ela enviou informações falsas para o departamento jurídico, você pode levar isso à ouvidoria com o pedido de processo administrativo. Caso seja comprovada má-fé, cabe até processo civil. No meio do ano passado, a diretora de uma faculdade ajudou os pais de uns alunos a me chantagear com um processo calunioso para que eu aprovasse alguns alunos (a diretora resolveu ajudar os pais a me chantagear porque a filha dela também havia sido reprovada… dá pra crer?) Mas, infelizmente, não havia nada registrado em papel e, como fui pego de surpresa, não gravei a conversa. Conversei com um advogado e ele desaconselhou a processar a capivara, mas perdi bastante cabelo com a história… paciência!

      Curtir

    6. @Suriani:

      {{2) excluir posts de picuinha e de qualidade duvidável, ou removê-los para um único post estilo cemitério, porque não gosto muito da ideia de excluir definitivamente o que já escrevi}}

      Excluir não — aí você vai ficar parecido com o Ayan. Criar uma “Recycle Bin” é a coisa certa, aliás muitos fóruns que eu conheço fazem exatamente isso.

      @both:

      E eu que achava, em pleno 1981, que a Politécnica da USP era um lixo, e a UNICAMP era quase-lixo — KKKKKKK. Com certeza a situação do ambiente acadêmico & universitário tupiniquim piorou muito desde então. Aceitem meus sinceros pêsames, young people🙂

      Curtir

  26. Atualizando um pouco…
    mais um capítulo na novela “O Primeiro Livro “de-verdade´´ do Luciano Ayan”.
    Livro êsse que mudou de nome, agora vai se chamar ‘Liberdade ou Morte’…
    … talvez para entrar em sintonia com o slogan do blog, que passou da luta contra a religião política à luta contra à tirania🙂
    Mas o pior é isto: criaram três capas *horrorosas* para o “opus magnum” (aspas indicando ironia), e agora pedem ao público para escolher a menos ruim😀
    FONTE:
    http://www.kickante.com.br/campanhas/urgencia-de-sermos-charlie/atualizacoes

    Curtir

    1. Des-conferindo…
      citando o comentário 66921 na página “Fora Foro é meuzovo” do blog do Lulux:

      «Eu andei meio corrido e fiquei uns dias sem acessar o email, mas hoje farei. O livro será enviado na primeira quinzena de fevereiro, conforme a previsão do editor. Vai rolar, finalmente! Não vejo a hora.»

      Abaixo, o printscreen do meu cutucão em cima do editor-gambiarra:

      P.S.: chega de esconder a verdade, sou uma transsexual lésbica.
      Quem não gostar disto, que trate de comprar uma passagem só de ida para a Putta-Que-Pariuw.

      Curtir

    2. Não tenho a menor dúvida que Rodrigo Simonsen é, efetivamente, Luciano Ayan. É só vocês compararem os posts, no Facebook, de Rodrigo Simonsen e Luciano Ayan para perceberem, explicitamente, semelhanças incríveis na grafia, modo de expressão e condução dos textos.

      Rodrigo Simonsen é o proprietário da Editora Simonsen. Conheço dois proprietários de outras editoras pequenas, e o que essa gente mais tem é tempo livre. Verifiquem os posts dessa ‘Editora Simonsen’ no Facebook e ficarão chocados: parece que é o site do Luciano Ayan.

      Outra coisa que ficou muito escancarada é o modo como Rodrigo Simonsen assumiu a defesa do “livro” de Luciano Ayan. Está usando dos mais ridículos argumentos para defender a enrolação. O pior de todos os argumentos foi quando ele (Rodrigo) afirmou que a “demora” na entrega do livro seria devido ao fato de “Luciano ter ‘dobrado’ o tamanho do livro”. Ora, será que tem tanto idiota assim nesse mundo? Isso também dobraria os custos de produção. Qualquer outra editora, por muito menos, teria cancelado o contrato com o “autor” e entrado na justiça.

      Eu não tenho dúvidas que Rodrigo Simonsen é Luciano Ayan (ou melhor, Luciano Ayan é um dos milhares de fakes de Rodrigo Simonsen).

      Curtir

  27. Hheuheuheuheuhe… sinceramente, voces fazem avaliações bastante parciais.
    1o porque um ser humano pode mudar de ideia, e o luciano ayan abertamente faz isso. Entao falar do passado para julgar atos do presente, qualquer plateia sensata saberia que isso nao faz sentido.

    Tambem vale lembrar que qualquer sensato sabe absorver o que deve ser absorvido. E nas replicas de voces, há varios erros e conclusões precipitadas, que sao especificamente, conclusoes proprias, nao baseadas em evidencias, mas um palpite.

    “como se as pessoas simplesmente estivessem em casa e pensassem “puts, as pessoas nasceram para gerar descendentes e os gays não respeitam isso… vou ser cristão porque cristãos repudiam os gays justamente por causa disso!!”

    Não há nenhuma referencia ao fato da pessoa ser crista porque cristao repudia gays. Voces formularam isso baseado apenas na premissa de voces mesmo (ele pensa assim, nao escreveu isso, mas pensa assim)
    Porque li o texto dele e nao existe isso, ele apenas menciona o fato de religiao crista seguir a replicação como ela deve ser feita. (homem x mulher), e por isso as pessoas associaram melhor (na tese dele). Mas isso nao serviria apenas ao cristiansmo, todas religioes tem como unidades, homem x mulher, por isso todas falam em um homem e uma mulher, obviamente porque a nossa especie depende de um homem e uma mulher, o que isso tem de errado?

    Ai voces mencionam o fato de gays estarem tendo filhos, bom, mas ai voce ja coloca uma terceira pessoa envolvida ou ate mais de uma, sao outras variaveis, o que ja nao faz sentido, dentro da discussao HxH ou MxM, pois passa a ser ou um relacionamento bissexual ou que so funcionaria graças a barriga de aluguel, inseminação artificial, e mesmo assim, foge da discussao… é como eu fugir da discussao replicação e ir para uma discussao sobre doenças sexuamente transmissiveis para nao aceitar o sexo anal como algo normal (natural, porem, nao normal), se sabe por exemplo, de problemas quando envolvem sexo HxH, que cientificamente, aumentam muito, a chance de surgimento de Hemorroidas… obviamente que nao é so o sexo anal que causa hemorroidas, uma simples prisao de ventre cronica pode provocar isso, mas o sexo anal, bom… entre homem e mulher podemos dizer que é raro, mas entre homem x homem…

    Curtir

    1. “1o porque um ser humano pode mudar de ideia, e o luciano ayan abertamente faz isso”

      Minha crítica está no excesso de mudanças de ideia, além da maneira abrupta, incoerente e, digamos, oportunistas, das mesmas. Mudar de ideia, todo mundo muda, mas devemos buscar uma coerência e evitar inversões bruscas do dia para a noite.

      “Não há nenhuma referencia ao fato da pessoa ser crista porque cristao repudia gays.”

      Uai, mas então como interpretar a frase: “Em termos de dinâmica social, ela escolheu o cristianismo por que ele se adapta à essa perspectiva que veio biologicamente nela.”? Note que ele condicionou explicitamente a escolha da religião tomando como critério o fato dela concordar com suas visões prévias de mundo! O fato de servir a qualquer religião parece-me irrelevante, continuaria equivocado…. E estaria igualmente equivocado para qualquer outro tema fora a homossexualidade, pois seria igualmente estranho ele dizer que uma pessoa escolheu o cristianismo porque ele se adapta à visão de que devemos amar uns aos outros, ou se adapta à visão de que devemos valorizar nossas famílias. Não criamos nossos valores e depois escolhemos uma religião, na verdade a religião e os valores nos são passados juntos e, na maioria das vezes, como uma coisa só.

      Curtir

  28. Eu só tenho a agradecer esse blog ser uma janela para o passado do Orkut, passado tão necessário de ser sabido devido à fauna que habita a internet brasileira. O sujeitinho não muda: antes enchia o saco dos ateus com seus argumentos merdas que envergonham as pessoas que tem objeções sérias ao ateísmo, como eu, e agora fica enchendo o saco do outro lado, continuando com o pseudoraciocínio de babuíno drogado dele.

    Curtir

    1. Mas gente, esses ultra-conservadores estão surtando mesmo! Já não bastasse terem brigado com o Reinaldo, por ser moderado demais na visão extremista deles, agora resolveram declarar guerra entre si tbm! Meu estoque de pipoca está quase acabando aqui kkkk

      By the way, hj o blog está bombando de visualizações originadas do facebook. Trata-se do Olavo (ou algum seguidor do veio babao da pepsi) que divulgou este post para detonar o lulu-mapeador?

      Curtir

    2. Seja qual for a identidade do “divulgador”, podem ter certeza de que não sou eu, nem qualquer um dos nomes da minha friend-list (a qual contém uma esmagadora maioria de pessoas estrangeiras, a minoria é uma meia-dúzia de brasileiras transsexuais que não têm o menor interêsse nêste assunto).

      Agora, a pergunta que não quer calar: por que o Luciano demorou tanto para começar a criticar o mestre Olavo de forma sistemática? Há quanto tempo êle “voltou a ser ateu”? E por que êle se acomodou lá no Mídia Sem Máscara, mesmo depois de ter voltado a ser o que êle nunca deixou de ser? Foi por lerdeza de raciocínio, OU sempre foi uma questão de conveniência, de *oportunismo*?

      assinado: Mársia Máriner

      Curtir

  29. Ameaça terrível do neo-illuminado.

    No comentário #69098 do artigo “Fabio Click diz que estou com medo. Ele está certo.”, o Lulux escreveu:

    {{Esse pessoal comprou uma briga que vai custar muito caro para eles. Fique tranquilo que vão rodar.

    Ia revelar minha identidade agora em março. Mas só porque fizeram isso, adiarei mais 1 ou 2 meses.}}

    Será que vão rodar mesmo?
    E quem ainda leva a sério as promessas do Ayan? Até o editor Gambiarra Simonsen foi contaminado pelo vírus da enrolação ayânica.

    Curtir

    1. Sinceramente nem sei o que significaria essa criatura “revelar sua identidade”. Identidade de quê? De mais um de seus fakes?

      Estive vendo no Facebook que ele arranjou uma briga com Olavo de Carvalho. E já acionou seus 13.456 fakes para lutarem contra o “velho ex-comunista”, rsrsrs…

      Aposto uma geladinha que o tal “livro” efetivamente sairá, mas estejam certos que será o único caso, no Brasil, de um livro escrito por um fake, coisa que é proibida pela constituição federal. Mas o tal do Rodrigo Simonsen não está nem aí.

      Curtir

    2. Obrigada pelo retôrno, Vander.

      Eu realmente estou torcendo para que essa divertidíssima briga entre aluno e professôr seja o êrro fatal que resultará na destruição do Luciano Rodrigo Ayan Simonsen.
      Não gosto do Olavo, porém detesto o Mateus Minuzzi [qual dêles, aliás?🙂 Além disto: só no dia de hoje, já surgiram 5 perfis fakes com o nome Olavo de Carvalho — todos sem ‘profile picture’, e todos destinados a sacanear o Olavo original. Pois é, parece que o vício do Lulu na criação de sock-puppets é realmente incurável].

      https://www.facebook.com/carvalho.olavo

      Curtir

    3. Também estou acompanhando religiosamente e me divertindo muito com esse barraco. Digam e pensem o que quiserem do Olavo, o sujeito é insuperável na arte de desmoralizar os pela-sacos com trocadilhos infames com o nome do sujeito e tiradas curtas e certeiras. “Lucy Ânus” superou minhas expectativas. E essa aqui foi na mosca:

      “Comédia mambembe: um anônimo queixando-se de dano à sua reputação. É como um castrado choramingar que chutaram suas bolas.” (A propósito, chorei de rir quando o Rodrigo Constantino, carinhosamente apelidado pelo Olavo de Cocô, reincidiu em sua calúnia de que o alunos do Olavo se comportam como integrantes de uma seita fechada, e o último disparou esta: “Só não vou falar que seita fechada é seu cu porque não averiguei o estado das pregas”.)

      Dei uma olhada rápida nas postagens mais recentes do perfil da Editora Simonsen e não vi nenhuma semelhança convincente entre os estilos não. Aliás, dá pra ver que o trabalho da editora é sério, já lançou vários livros, o que não condiz com o amadorismo incorrigível da “Lucy Ânus”. Isto para não falar que seria de uma burrice sobre-humana o dono de uma ainda incipiente, porém promissora, editora de livros voltados para um público que quase se confunde com o do Olavo se jogar numa campanha infantil e criminosa de difamação contra este último. Uma coisa é perder seguidores no blog e no facebook, outra é se queimar no mercado editorial e perante seus próprios financiadores por conta de uma traquinagem ridícula dessas. (Caralho, a Lucy considera uma ofensa caluniosa afirmar que um terceiro qualquer é a pessoa por trás de seus perfis e de seus textos! Isso é ou não é uma confissão da natureza no mínimo vexatória, quiçá criminosa, de sua atuação na internet ao longo dos anos?) Além disso, parece que a Lucy tentou um contrato com a Vide Editorial antes de fechar com a Simonsen.

      Bom, eu sei que vcs estão acompanhando de perto, mas ainda assim quero deixar aqui o link desse video feito recentemente por um dos alunos do Olavo comentando o imbróglio:

      Não esse como esse episódio específico vai terminar, mas não contém com o fim da Lucy. Ou melhor, a Lucy Ânus pode até morrer ao final, mas seu criador, seja lá quem for, com certeza continuará assombrando a blogosfera e as redes sociais com suas legiões de fakes. O sujeito está nessa há mais de uma década, ele não sabe fazer outra coisa da vida! No máximo ele pode se ausentar pelo tempo em que precisar lidar com as consequências judiciais de suas trollagens.

      E, Suriani, mais respeito ao se referir ao Olavo. Se você ainda não sabe, ou não acredita, o ~veio babão da pepsi~ é o maior filósofo brasileiro vivo em atividade, o que não é grande mérito, já que é o único. Sim, eu estou falando sério.

      Até mais, e boa noite a todos.

      Curtir

    4. Pode ser o único de qualquer coisa, pra mim é e sempre será o veio babão da pepsi hahahah E a propósito, é impressão minha ou você está desiludido com o Pondé a ponto de nem considerá-lo mais filósofo?

      Curtir

  30. Atualizando (again):

    um MAV anti-Ayan está poluindo os comentários no blog O Antagonista🙂

    Essa briga entre o Lulux e o Ovário de Cavalo vai durar mais do que devia, lamentàvelmente.
    Parodiando o troll Lisandro Hubris lá do Yahoo! Respostas,
    o Luciano Ayan já perdeu o prazo de validade😛

    Quanto ao Olavo ser o maior e único filósofo brasileiro ainda vivo… fazer o quê?
    Se dependesse sòmente de fatores naturais, ou melhor dizendo, exclusivamente materiais,
    o velhão já deveria ter empacotado há muito tempo, começando pelo fato de êle ser uma chaminé ambulante… mas como diz o velho ditado popular, vaso ruim é difícil de ser quebrado.
    O Lulu pode não ser um fumante inveterado como o Olavo, mas que êle aprendeu direitinho com o velho mestre a arte de gerenciar inúmeros sock-puppets ao mesmo tempo, isto ninguém pode negar. Além da arte da hipocrisia, é claro. Para mim é impossível acreditar que o Olavo realmente seja um católico (ou um cristão genérico, pelo menos). Não com a bagagem de conhecimentos que êle adquiriu ao longo de todos êstes anos. Mas como êle possui a necessidade doentia de ter uma legião de seguidores, então não lhe é difícil falar e escrever as coisas que essa legião de acéfalos gosta de ouvir e de ler. Pelo menos uma vantagem em relação ao Luciano êle tem — as canequinhas, chaveirinhos e camisetinhas da série Olavetes existem e estão à venda, enquanto que a obra inaugural do Luciano Henrique, o livro ‘A Urgência de Sermos Charlie’, ainda não saiu do prelo (se é que um dia vai sair).

    Curtir

    1. Olavo de Carvalho, pelo menos, joga o jogo por meio de uma vantagem insuperável ao Ayan: Olavo é real. É uma pessoa física presente e identificável no jogo. Óbvio: está lá nos ‘States’, tranquilo e protegido pelo dólar e legislação americana. Mas ele existe.

      Já Ayan? Afinal, o que é a criatura? Existe ou não realmente? Sabemos que se manifesta, mas é essencialmente UMA pessoa? Pela quantidade de atividades da criatura, alguns julgam que se trata de mais de uma pessoa, o que não duvido, afinal, ninguém em sã consciência passa dia e noite em cima de um computador (assim acho).

      Quanto ao livro, será incrivelmente divertido de se assistir à alguma peripécia envolvendo questões judiciais nesse embrolho: e se alguém resolver acionar na justiça o tal livro por alguma questão racial, religiosa, moral, etc? Ou simplesmente para se conhecer o autor?

      Confesso que quando Ayan começou a falar em livros, imediatamente concluí que ele faria livros sobre assuntos fora do Brasil, até mesmo para evitar implicações com a justiça e ter de responder a foros criminais aqui na terrinha. Para se ter uma idéia da aversão à identidade do sujeito, seu site (lucianoayan.com) está totalmente no anonimato em um datacenter lá no Arizona, através da plataforma “Domains by Proxy”, cujo principal objetivo é tornar secreto quem é o dono do site. Por esse simples, porém significante fato, concluo que o sujeito tem sérios problemas existenciais. Se esconder dessa maneira só pode levar à conclusões suspeitas.

      Já até imagino o ‘Luciano Ayan’ tendo de recorrer ao STF, à semelhança de Lula, para evitar de comparecer à depoimento e ter seu anonimato quebrado, rsrsrsrs…. Mas tudo bem: ele mandaria algum de seus fakes.

      Mas enfim, caiu a casa de Luciano Ayan e de seu exército de fakes.

      Curtir

    2. Muito boa essa observação, a de que o Lulux é um anônimo total também fora do Brasil. Confesso que, apesar de já ter rodado por diversas vezes a linha «whois lucianoayan» no prompt de comando do Windows desde que êle “voltou dos mortos”🙂 após ter abandonado o neoateismodelirio-dot-wordpress-dot-com, eu tinha reparado apenas nas inexistentes informações sobre o Lulu, sem me preocupar em saber mais sobre a tal ‘Domains By Proxy’. Obviamente êle virou gato escaldado, isto é, ficou menos descuidado, depois que descobriram que o Mateus Minuzzi era o nome por trás do Lucianus Templarius e do Snowball Chesterton.

      Curtir

    3. Vander, quando você falou em “alguém acionar a justiça contra o Asnan”, achei que ia falar de processá-lo por estelionato por conta desse livro que provavelmente só vai sair depois de Half Life 3. Ou vai ver o Simosen e o Ayan são a mesma pessoa e aquela história dos sei lá quantos mil reais arrecadados não passou de uma grande brincadeira.

      Curtir

  31. Mais uma prova inequívoca de que o Lulu não passa de uma attenti0n-wh0re:

    há quase 3 anos completos, êle deu um título sensacionalista —”Menino transexual quer ver meninas peladas no banheiro”— a uma reportagem de TV, somente para contabilizar visualizações no YouTube, atrair trolls religiosos, e transformar a página do clip em um palanque virtual para êsses mesmos conservadores de mérda que inventaram a expressão “ideologia de gênero” e que se atrevem a vender seus preconceitos milenares como “ciência”.

    Curtir

  32. Impressionante mesmo: depois de quase 5 anos, o Luxianim se deu ao trabalho de censurar o blog Neoateismo, onde estava o texto que “sujou a reputação” do supôsto inocente Mateus Minuzzi Freire da Fontoura Gomes. Agora em vez do conteúdo original, temos a segunite mensagem:

    {{Some content on this page was disabled on 25 de February de 2016 upon receipt of a valid complaint regarding the publication of private information.}}

    https://neoateismo.wordpress.com/2011/04/21/quem-esao-os-crentelhos-do-quebrando-o-encanto-do-neo-ateismo/

    Mas nem tudo está perdido, dear friends, vai ser bem mais difícil o Lulux conseguir censurar The Wayback Machine😉

    Curtir

    1. Incrível como o Lulu consegue se enrolar cada vez mais… Agora êle confessa que foi sim um troll do Orkut, “MÂS” não foi uma questão de trollar pelo prazer de trollar, aquela fase de sua vida não passou de um grande experimento científico, feito para fornecer subsídios para sua futura contribuição à Politicologia (acredite quem quiser). Citação direto da fonte:

      {{Os ataques das ovelhetes a este blogueiro variam em diversos graus, e em linhas gerais serão rebatidos aqui, evidentemente. Mas é bom me antecipar a alguns discursos padronizados. Para começar: andaram reclamando de um período em que eu não tinha este blog – entre 2005 e 2009 – e era um “troll” no Orkut, inclusive aplicando mindfuck e fornecendo informações divergentes em ambientes de combate intelectual. Sim, eu fiz isso mesmo, e enquanto desmascarei muita gente, também fazia alguns experimentos (úteis para a minha análise futura após o início desta página). O fato é que, principalmente depois de ter assimilado os conceitos de guerra política (e resolvi ser promotor desta forma de agir politicamente), entendo que hoje agiria de maneira diferente do que agi no passado. A meu ver, isto é evolução.

      Na época, eu era acusado de ter vários fakes, mas nenhuma dessas acusações foi sequer comprovada. Na verdade, eu sempre utilizei meu pseudônimo. Acusar o oponente de ter fakes era um truque utilizado quando eu não possuía muitos leitores. No máximo, algumas pessoas se posicionavam a meu favor nos debates de Orkut. Era fácil acusar alguns de meus apoiadores de fakes. Hoje este ardil não cola mais. Porém, outro conhecido troll dos tempos do Orkut, Eli Vieira, também demonstrou uma considerável evolução e atualmente faz um belíssimo trabalho na comunidade Aventuras da Justiça Social, desmascarando o politicamente correto, ou, como defino, fascismo cultural.}}

      Logicamente, êle omite que o período em que manteve o blog ‘Neo-Ateísmo Um Delírio’ também foi um de seus experimentos, cuja cobaia principal foi a massa de religiosos que acreditaram, em maior ou menor grau, no catolicismo fajuto do Lucique.

      Pois é… e que garantias temos nós de que a sua fase neo-iluminista, movida a pseudociências como psicologia evolutiva e análise transacional, não é apenas mais um dos alegados experimentos conduzidos pelo nôvo campeão do combate às tiranias? A resposta correta e auto-evidente é: nenhuma garantia.

      FONTE: http://lucianoayan.com/2016/02/28/historico-primeiro-ato-por-que-o-tao-impressionante-olavo-de-carvalho-nao-suporta-criticas-e-a-opiniao-alheia-ou-o-curioso-caso-de-olavo-de-carvalho-que-em-razao-do-tempo-regride/

      Curtir

  33. Esse Luciano Ayan é o cara mais bizarro que já vi na internet. Naquele site dele, é comum se perceber que ele se utiliza de fakes. E o pior: já testemunhei até mesmo discussões entre os fakes. O cara tem sérios transtornos bipolares.

    Mais o mais hilário é perceber que o Ayan é um cara que tem verdadeiro pavor de não ser reconhecido (mérito), ao mesmo tempo que tem verdadeiro pavor de SER reconhecido (identidade).
    😄

    Curtir

  34. E o livro do Ayan? Saiu ou não? Dei uma olhada no kickante e não vi nada do livro. A última atualização foi a um mês onde o tal do Simonsen afirma que o livro “foi pra gráfica”…

    Acho que o livro “foi pro saco” mesmo…

    Curtir

    1. Na página “/editorasimonsen´´ no FB, a nota do dia 26 de fevereiro passado também diz que o livro do Ayânus “já está na gráfica”. E o mais importante, em minha opinião: diz que a culpa do atraso na publicação *não é do autor* — de modo que o Simonsen está pedindo para ser (merecidamente aliás) importunado e insultado🙂 Quanto ao blog do Lulux: no post do dia 5 de março, novamente lemos a promessa de que a obra-prima “finalmente” será lançada, e “em breve”. Mas êsse “em breve” deve ser divino, porque somente para Deus é que um dia dura mil anos…

      Curtir

    1. Paciência, Suriani… o Lulu tem até o dia 31 de maio de 2016 para cumprir essa promessa…

      Quanto a esta outra promessa:
      «Esse pessoal comprou uma briga que vai custar muito caro para eles. Fique tranquilo que vão rodar»
      — já temos certeza de que êle não a cumpriu. O Olavo de Carvalho continua firme e forte com sua página no Facebook, fazendo o que sabe fazer de melhor: colecionar milhares de ‘likes’ da patuléia que o trata como um semi-deus, e que aplaude sem-pensar toda e qualquer trollagem que o “mestre” invencionar.

      Curtir

  35. Well, well,… às 20:49 GMT do dia 6 de maio de 2016, Mister Simonsen escreveu que o livreco do Lulux “já foi remetido aos participantes do crowdfunding”. O curioso é que até agora, 04:02 GMT do dia 8 de maio de 2016, a suposta grande notícia NÃO apareceu nem no blog do Lulux e nem na página ‘facebook.com/ceticismopolitico’. Tudo ainda muito suspeito… igual a qualquer outra coisa que venha do Sr. Ayhan, é claro.

    Curtir

    1. Mas e agora, 10 dias depois, já apareceu algo?

      Notou o MBL (movimento Brasil Livre) repostando posts do Lulux? Quanto tempo vão levar até quebrar a cara?

      Curtir

    2. Bom, parece que o Luciano arranjou um “bico” (emprêgo informal) de jornaleirista freelance lá no MBL, né. Ou seja, deve ter se tornado um dos admins da página do tal grupo-de-agitadores lá no Facebook…

      Quanto ao livro dêle, well, certamente permanece prêso no conjunto dos números maiores que 10 e menores que 5😛

      BTW, a fogueira da briguinha entre o troll-mestre e o troll-discípulo foi reacêsa. Talvez o assunto só seja encerrado quando o professôr Olavo morrer, ou quando o aluno pirilâmpico tiver sua identidade civil revelada para o grande público:

      https://lucianoayan.com/2016/05/22/olavo-de-carvalho-em-seu-devido-lugar/

      Curtir

  36. Hummmm, de acôrdo com o site da Livraria Saraiva, o opvs minimvm do Luxiano é um…

    «Produto em pré-venda.
    Lançamento previsto para 30/06/2016»

    Bom, faltam então 3 dias para o primeiro aniversário do NÃO-lançamento do tal livro, né.

    E enfim, veremos se o Luciano finalmente vai tirar a máscara de soldado americano equipado com dispositivo de visão noturna, ou se vai dar autógrafos vestindo um saco de papelão na cabeça.

    http://www.saraiva.com.br/liberdade-ou-morte-do-atentado-ao-charlie-hebdo-a-mais-importante-das-lutas-9347155.html

    Curtir

    1. Olha só! E não é que nosso bravo caçador de moinhos-de-fraudes lançou o livro assinando com o pseudônimo. E justamente 18 meses depois do atendado, quando já se esgotou o assunto e ninguém mais lembra…

      By the way, será que veremos uma foto do auditor de fraudes na contra-capa?

      Curtir

    2. Parece que, diferente do que afirmou o pretenso professôr de Direito Olavo de Carvalho, usar um pseudônimo é diferente de se esconder atrás do anonimato, e assim, publicar um livro através de uma editôra usando um pseudônimo deve ser perfeitamente legal… Voltaire, Trotsky, Stendhal, Allan Kardec e etc. que o digam😀

      Se não me falha a memória: de acôrdo com a legislação brasileira antiga, era possível publicar um livro de forma anônima, DESDE QUE o autor renunciasse à sua parte nos copyrights…

      Quanto a ver a cara real do Luciano… só esperando para ver o que (não?) acontece no próximo dia 30 de junho, ¿no es verdad? Até agora, só vi imagens da capa do tal livro na Internet, não da contracapa, e muito menos das “orelhas”. Também não sei se, na ocasião do tal “lançamento”, o Luciano estará presente, ou se vai mandar um “representante” em seu lugar. Até perdi a vontade de separar a mirrequinha necessária para a compra do supervalorizado pergaminho.

      Curtir

    3. Tendo eu sido forçada a acompanhar minha jovem proprietária para realizar umas compritchas no Shopping Plaza Sul nesta tarde dominical, aproveitei a oportunidade para procurar o livro do Lulu na Livraria Saraiva… e com pesar descobri que lá não existem cópias tangíveis da grande obra… é tudo “on-line”, e mesmo as lojas «reais» funcionam apenas como intermediárias entre a Editora Simonsen e o consumidor… Muito lamentável êsse livro que prometeu “sacudir o mercado editorial”… kkkkkkk

      Curtir

  37. O foco e o importante na questão hoje, em 2016, é o que o Luciano Ayan, no presente, consegue desconstruir das narrativas picaretas petistas, que naturalmente, são sólidas e reais. A narrativa petista muito bem articulada e dissimulada. O PT é o “bonzinho”, percebem?

    O PT perde credibilidade, no entanto, não apenas devido a brutal incompetência, que fez crescer a rejeição a esse partido, mas também devido a propaganda enganosa de João Santana! E dos próprios militantes. A única coisa que resta ao PT é a narrativa, tipo: «não vai ter golpe». Apenas palavras.
    Esse pessoal de mídia social com tarja publicitária estereotipada [Facebook etc.]: “não reconheço governo Temer golpista”, vive em um automatismo:
    A questão não é maravilhosa em nosso país. No entanto sabemos que DILMA é muito ruim como estadista e articuladora. Se se compara, Temer é solarmente melhor (e nesse caso é bom com-parar). Mas há mulheres fabulosas. Muitas delas são MULHERES heroínas. Algumas são apagadas. Outras esquecidas. Uma das esquecidas é Janaína Paschoal (pelo menos pela mídia em geral). Eis:
    Campeã mesmo (no bom sentido) é ver Janaína Paschoal enfrentando Gleisi Hoffmann. Como uma atleta. Veja:
    Puxa vida! Dra. Janaína Paschoal (de verdade, não é apenas professorzinho(a) doutor de USP não, com teses defasadas e autoritárias). Janaína Paschoal, com inteligência, bom senso, modernidade, cabeça AREJADÍSSIMA, fez o golaço em cima de Gleisi Hoffmann. Sete a um (7×1) para Janaína Paschoal!
    E quanto a Dilma está é aqui: Um produto a ser vendido e consumido. Apenas isso. E haja publicidade! Desgastante. Veja:
    Coca-Cola, PT, LULA, DILMA, REQUIÃO, PSEUDO-INTELECTUAL:
    O PT ainda continua perfeitamente astuto e sutil, quase invisível em seu ilusionismo. Pratica qualquer NARRATIVA para estar no poder.
    Narrativas publicitárias que USURPAM o pensamento, mentes e traz medo. Vigilância e controle ideológico. Dentro das Universidades, nas ruas, botons, autoadesivos, blogs espertalhões, artistas puxa-sacos, discursos manipuladores, «lavagem cerebral».
    “””Golpe”””, com toda certeza, é um clichê publicitário, é frase-pronta, imagem estereotipada e montada a priori (nessa altura, provavelmente, recomendada por algum marqueteiro, tal qual João Santana. Semelhante a ele. Senão, ele próprio): frases clichês tais quais:
    “Coca-Cola dá mais vida”.

    Curtir

    1. Hoje o lulu é especialista em chutar cachorro morto. Falar mal do PT e do Olavo é tão fácil que qualquer criança hoje dia consegue. E se a esquerda brasileira perdeu o controle sobre a narrativa política, não foi nem de longe graças ao dr. auto-felação, até porque sua audiência se limita a seus puxa-sacos e fakes dele mesmo. Quem mais contribuiu para esburacar a narrativa da esquerda foi a Lava-Jato. Tivesse sido mérito do lulu, hoje ele dominaria a narrativa brasileira.

      Até porque o lulu só sabe criar posts com títulos astutos, quase sempre com textos vazios, compostos por notícias requentadas, análises estapafúrdias e exageros gritantes. Só o hater político de sempre que aprendeu a dar títulos mais chamativos pra seus posts.

      Curtir

  38. Penso que, agora, está mais-do-que evidenciado, de maneira «analýtica», que o Luciano Ayan *não é* um “tecnólogo de informação especializado em segurança e auditoria” (ou algo do tipo); a citação abaixo indica, pelo contrário, que o Luciano se tornou o que êle sempre quis ser: um jornalista sem jornal —ou melhor dizendo, um jornaleirista—, a serviço de si mesmo em primeiro lugar e acima de tudo;

    {{Pessoal, finalmente consegui fazer algo que queria há muito tempo: instalar o novo site do Ceticismo Político em um serviço específico fora do serviço WordPress (mas ainda utilizando a plataforma). O objetivo era ter mais liberdade na instalação de novos recursos.

    O site novo está neste endereço: www . ceticismopolitico . com

    O site antigo (lucianoayan . com) seguirá disponível, portanto nada será perdido, mas as próximas atualizações estarão neste novo site. Peço apenas que se cadastrem no novo site na seção de “Receba por e-mail”. Isso para aqueles que gostam de receber newsletters. (Ainda estou em conversas com minha equipe sobre a possibilidade de importar quem estava cadastrado anteriormente.)}}

    Mas independente disso tudo… confesso que ainda não descobri a mágica que conseguiu transformar o Roger “Modo Espartano” Scar em mero papagaio repetidor do Lulux… Bem, talvez não exista qualquer mágica envolvida no processo, talvez o Roger Scar sempre tenha sido um dos inúmeros sock-puppets do médico maçom que morou na Alemanha por uns tempos…

    Curtir

Quer fazer um comentário?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s